Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tela de Guignard se torna a mais cara de um brasileiro a ser leiloada

'Vaso de Flores', produzida pelo modernista em 1930, foi vendida por 5,7 milhões de reais nesta quinta-feira na Bolsa de Arte, em São Paulo

A tela Vaso de Flores, produzida pelo modernista Alberto da Veiga Guignard (1896-1962) em 1930, se tornou a obra de arte mais cara de um brasileiro já vendida em um leilão. A peça, cujo lance inicial era de 4 milhões de reais, acabou sendo vendida por 5,7 milhões de reais nesta quinta-feira na Bolsa de Arte, em São Paulo. Vaso de Flores superou o valor obtido com a venda de Superfície Modulada nº 4, de Lygia Clark, arrematada em 2013 por 5,3 milhões de reais.

Leia também:

Galeria White Cube fecha filial brasileira após três anos

Com curador alemão, Bienal de SP de 2016 tem datas definidas

Guignard está em alta no momento, com uma retrospectiva de sua obra no Museu de Arte Moderna (MAM), de São Paulo, que abriu no começo de julho e que segue em cartaz até 11 de setembro. Divididas por temas, retratos, naturezas-mortas, obras sacras e paisagens, as 72 obras reunidas pelo curador, o crítico Paulo Sergio Duarte, recontam a trajetória do pintor, apontado por Mario de Andrade, no início da carreira, como uma promessa – que se cumpriu.

Outro destaque do leilão da Bolsa de Arte foi Construção sobre Fundo Negro, do carioca Milton Dacosta. Vendida por 5,2 milhões de reais, a tela de 1956 se tornou um recorde do artista. A peça mais disputada, porém, foi uma gravura de Picasso, Le Peintre et Son Modèle, cujo lance inicial era de 700.000 reais, mas foi vendida por 1,7 milhão de reais.

(Da redação)