Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Spielberg admite ter se frustrado com último Indiana Jones

O diretor Steven Spielberg reconheceu que a trama do último filme de Indiana Jones, idealizada por George Lucas, nunca o convenceu, mas seguiu adiante com o projeto por sua amizade com o criador de Guerra nas Estrelas. O longa Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal, a quarta parte da saga, estreou em 2008, quase 20 anos depois que sua predecessora, Indiana Jones e a Última Cruzada (1989), rodeada por uma grande expectativa que se transformou em decepção para muitos fãs e vários críticos. Em entrevista à revista Empire, o diretor também confirmou que Lucas trabalha em um quinto Indiana Jones, mas ainda não tem o roteiro.

O filme levou o personagem, acostumado a lidar com artefatos antigos associados com episódios históricos, religiosos ou de magia negra, a viver um episódio sobre seres extradimensionais com aspecto de extraterrestres mais próximo à ficção científica. “Estou muito contente com o filme”, explicou Spielberg que, no entanto, fez algumas ressalvas. “Entendo as pessoas que não gostaram da trama porque eu também não gostei. George e eu tivemos grandes discussões sobre a trama. Eu não queria que estas coisas fossem nem aliens nem seres extradimensionais, mas sou leal a meu melhor amigo”, comentou o diretor.

Spielberg frisou que todas as histórias de Indiana Jones foram obra de George Lucas. “Quando escreve uma na qual ele acredita, mesmo que eu não acredite nela, vou realizar o filme da forma que ele imaginou”, disse o cineasta, que assumiu a responsabilidade por alguns elementos do filme, como a sequência na qual o protagonista se protege de uma explosão atômica em uma geladeira. “Não joguem a culpa nele (George). Essa foi a minha ideia tola.”

O diretor de E.T. – O Extraterrestre (1982) ainda reiterou sua confiança em estrear um novo filme da saga Parque de Dinossauros em dois anos. “O roteiro está sendo escrito agora. Temos uma história melhor para a quarta parte que a que tínhamos para a terceira.”

(Com agência EFE)