Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sony coloca ‘A Entrevista’ em mais 249 cinemas nos EUA

Estúdio disse também ter fechado acordo com distribuidores de TV a cabo. Filme ganhou repercussão após incidente diplomático com Coreia do Norte

A Sony anunciou nesta quarta-feira a ampliação da distribuição americana nos cinemas e na internet do filme A Entrevista, que provocou um conflito diplomático entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte.

A partir desta sexta-feira, o longa será exibido em 580 salas do país, 249 a mais do que no último fim de semana. Segundo comunicado, o estúdio também fechou acordos com “os principais distribuidores em nível nacional de TV a cabo, por satélite e telecomunicações para oferecer o filme”.

Além disso, A Entrevista estará disponível na plataforma PlayStation a partir de amanhã e, segundo o site da revista Variety, a Netflix negocia a exibição em streaming do filme, mas nenhum acordo foi fechado ainda.

Leia também:

Em estreia de ‘A Entrevista’, público defende liberdade de expressão

Coreia do Norte ameaça atacar EUA e acusa Washington de estar por trás de filme

O filme foi lançado na última quarta-feira no site do Google Play, no YouTube, em uma página criada pelo estúdio Sony especialmente para o lançamento e no serviço Xbox Video. A Entrevista já é o filme mais vendido dessas plataformas em 2014 e o mais bem-sucedido da história da Sony. Neste domingo, o estúdio divulgou que a venda do longa por plataformas digitais havia arrecadado, até então, 15 milhões de dólares.

O filme, que retrata um complô para assassinar o ditador da Coreia do Norte, ganhou notoriedade após as ameaças de hackers que vazaram informações confidenciais da Sony, como planilhas e e-mails. O longa estava previsto para entrar em cartaz em 3 000 salas nos Estados Unidos no feriado do Natal, mas acabou rejeitado pelas grandes redes exibidoras do país por causa de ameaças terroristas.

A Sony chegou a cancelar a estreia do filme, mas voltou atrás e lançou a produção em salas de cinema independentes. Em bilheteria, a comédia fez até agora apenas 3,1 milhões de dólares no país. Antes das ameaças, a expectativa da Sony era somar 20 milhões de dólares em bilheteria no primeiro fim de semana em cartaz.

(Com agência France-Presse)