Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Semana de Moda de Paris abre em preto e branco

A Semana de Moda de Paris teve um começo em preto e branco nesta terça-feira com o desfile de uma dupla de estilistas asiáticos que trouxe tons monocromáticos ao look da Primavera-Verão 2012 na Cidade Luz.

Fashionistas, jornalistas especializados e curiosos invadiram uma Paris ensolarada para a etapa final da maratona de desfiles, após uma parada estratégica em Milão, onde o tom era muito otimista em meio a uma crise econômica.

A estilista sul-coreana Moon Young Hee escolheu um armazém do século 19, com teto de vidro e todo decorado em branco à meia-luz para mostrar uma linha que diz misturar plissados de alta tecnologia e a tradicional alfaiataria asiática, com cortes masculinos e drapeados etéreos.

Vestidos e calças feitos em seda com detalhes em viscos e de modelagens retas se misturavam com estampas inspiradas em Mondrian em marrom, azul, verde e amarelo, e muitos looks eram combinados com jaquetas masculinas.

Os cabelos vieram presos em coques altos e milimetricamente bagunçados, enquanto a maquiagem trouxe tons de azul, verde e vermelho nos olhos. Nos pés, sapatos fechados de dança parecidos com tênis em renda branca.

Os looks sérios que cobriam o corpo durante o dia deram lugar a fluidos vestidos de organza em branco e tons pastéis, com bolsos na altura dos quadris, decotes profundos e grandes detalhes que saíam das mangas e dos decotes como asas de anjo. As camisas de seda combinavam perfeitamente com esses detalhes plissados na frente, em golas altas combinadas com organza.

Em um parada estrategicamente sexy, capas e vestidos pretos de cortes geométricos e gola alta deixavam os ombros e a lateral do corpo à mostra, enquanto blusas transparentes fechavam o look.

Para o final, a estilista deixou intrincados tops e vestidos plissados de formas esculturais que envolviam o pescoço. “Eu trabalhei muito com a geometria, usando sintéticos misturados à seda pela primeira vez, e trabalhei com muita atenção nos plissados para um efeito dramático”, disse a estilista, que vive em Paris há duas décadas, durante entrevista à AFP após o desfile.

Harry Halim escolheu uma antiga indúsrtria metalúrgica como palco para seu desfile, mas desta vez trouxe todo o cenário, roupas, sandálias plataforma em renda e até batons em preto.

O estilista indonésio, formado em Cingapura, trouxe suas modelos envoltas em uma trilha sonora electro-industrial de buzinas, cliques e bateria, vestidas em capas de estilo macramê com laços e franjas cortados como fibras, combinadas a hotpants (espécie de short muito curto) ou minissaias em preto.

Muito justas na cintura e no quadril e de modelagem mais solta nos joelhos, as famosas calças flare, de inspiração nos anos 1970, tocavam o chão, enquanto jaquetas masculinas, uma das tendências da temporada, foram cortadas ao meio, com fitas e detalhes caindo pelo torso nu das modelos.

A Semana de Moda de Paris acontece até 5 de outubro e vai contar com 92 desfiles oficiais, além de estreantes, e em meio à polêmica em torno do novo diretor criativo da maison Dior, que segundo a central de boataria fashion poderia ser o americano Marc Jacobs.