Clique e assine a partir de 9,90/mês

Rihanna é escolhida ativista do ano pela Universidade de Harvard

Cantora construiu um centro de oncologia para diagnosticar e tratar o câncer de mama e também é responsável por um programa de bolsas de estudo em Barbados

Por Da redação - 22 fev 2017, 21h45

Rihanna pode ser conhecida como uma estrela do R&B, mas nesta quarta-feira ela foi nomeada pela Universidade de Harvard como ativista do ano de 2017. A cantora de 29 anos, originária de Barbados, receberá o prêmio em pessoa no campus da universidade em 28 de fevereiro, anunciou a instituição. “Rihanna caridosamente construiu um centro de oncologia e medicina nuclear para diagnosticar e tratar o câncer de mama no Hospital Rainha Elizabeth em Bridgetown, em Barbados”, disse o diretor da Fundação Harvard, S. Allen Counter, em nota.

Ela também criou um programa de bolsas de estudo, em homenagem a seus avós, para caribenhos que estudam nos Estados Unidos, e apoia os esforços para dar a meninas um melhor acesso à educação nos países em desenvolvimento. “É por causa dessas iniciativas filantrópicas e outras ações de compaixão que alunos e professores da Fundação Harvard escolheram homenagear Rihanna”, afirmou Counter.

A cantora se junta a uma ilustre lista de pessoas que receberam este prêmio anteriormente, como o ex-secretário-geral da ONU Ban Ki-Moon, a ativista paquistanesa e vencedora do Prêmio Nobel da Paz Malala Yousafzai, e o cantor Lionel Richie. Rihanna já vendeu mais de 200 milhões de discos, venceu oito Grammys e emplacou catorze hits no topo das paradas musicais.

(Com Agência France-Presse)

Publicidade