Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Repórter do ‘CQC’ acusa deputado federal de agressão

Felipe Andreoli disse em redes sociais que fez uma pergunta ao parlamentar Marcio Reinaldo Moreira (PP-MG) e, como resposta, levou um 'tapa na cara'

“Tapa na cara dói. Não aquela dor doída de um soco. É mais parecido com uma cusparada, uma humilhação”. Foi dessa forma que o humorista Felipe Andreoli, repórter do programa CQC, da TV Bandeirantes, explicou o que sentiu nesta terça-feira, no Congresso Nacional, após tentar entrevistar o deputado Marcio Reinaldo Moreira (PP-MG). Segundo Andreoli, o parlamentar o agrediu com um “tapa na cara” e “xingamentos” ao ser questionado durante uma gravação para o CQC.

À noite, o humorista procurou a Polícia Civil do Distrito Federal e registou um boletim de ocorrência por agressão. “Hoje (terça-feira), na Câmara dos Deputados, graças ao nobre Dep. Marcio Reinaldo Moreira, descobri o significado de ‘um tapa ma cara da sociedade…'”, escreveu Andreoli em sua conta no Twitter.

O repórter do CQC detalhou o caso em seu blog no Tumblr. “Fiz uma pergunta – vocês verão no CQC – que nós nos fazemos todo santo dia. Ele me respondeu com um tapa na cara. Fora os xingamentos”, escreveu. “Indignado”, Andreoli afirmou não ter hesitado ao decidir procurar a polícia, mas disse ter temido acabar sendo perseguido pelo congressista.

“Eu senti aquele senhor batendo na cara de todos estavam ao meu redor. Vou na polícia. Na hora em que cheguei à delegacia para fazer o boletim de ocorrência – confesso – fiquei com medo. Pensei: Caraca! Sabe Deus da onde é esse cara, quem são os amigos dele, o ‘poder’ que ele tem ou pode ter. Vou dar meu endereço e telefone no BO e esse nobre deputado vai atrás de mim. Juro que pensei isso”.

Pouco depois, o repórter do CQC publicou uma imagem do boletim de ocorrência no Twitter e avisou o deputado: “Descobri que o agressor, o deputado Marcio Reinaldo Moreira, tem twitter: @mrm2020 Aqui o B.O. registrado por sua agressão”. Ele disse ainda que pretende ir “até o fim” e espera que Moreira pague “cestas básicas e se retrate”.