Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rainha de bateria quer se aposentar na Acadêmicos do Tatuapé

Andréa Capitulino estreou no ano passado na escola de samba que conquistou seu segundo título consecutivo do Carnaval de São Paulo

A Acadêmicos do Tatuapé nunca havia conquistado o título do grupo especial do Carnaval de São Paulo até 2017. Naquele ano, Andréa Capitulino estreou com rainha de bateria na escola pela qual conquistou o bicampeonato nesta terça-feira (13).

“A vida inteira desfilei no carnaval do Rio e de São Paulo, mas foi ano passado na Tatuapé que estreei como rainha da bateria. Estou muito feliz com o resultado é já renovei com a escola para o próximo ano”, afirmou Capitulino, que é do Rio de Janeiro, mas mora em São Paulo.

“Moro na Bela Vista, mas conheci a escola por meio do presidente Eduardo dos Santos e outros amigos que tenho aqui. Agora quero ficar até virar velha-guarda da escola”, completou a bicampeã.

Neste ano, Capitulino desfilou com uma fantasia avaliada em 100.000 reais, representando o sol do Maranhão, com 20.000 cristais e 800 penas de faisão. Antes de ser coroada rainha da Tatuapé em agosto de 2016, Andréa Capitulino já havia desfilado por Salgueiro, Mangueira, Vila Isabel e Unidos da Tijuca, todas do Rio de Janeiro.

No Sambódromo do Anhembi, a escola homenageou o Maranhão e sua cultura local. O desfile foi assinado pelo carnavalesco Wagner Santos e teve a participação de 2.761 componentes, divididos em 26 alas e cinco carros alegóricos.

A ala das baianas homenageou a Floresta dos Guarás, uma das maiores reservas florestais do estado. O Palácio dos Leões, sede do governo, e outros pontos turísticos da capital São Luís, foram representados nas alegorias.