Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Quero me divertir’, diz Kleber Mendonça sobre sua ida a Cannes

'Aquarius', novo filme do cineasta pernambucano, concorre à Palma de Ouro este ano no festival

Kleber Mendonça Filho, claro, está feliz em participar do Festival de Cinema de Cannes com seu novo longa, Aquarius, com Sonia Braga. O cineasta, entretanto, não quer pensar muito nos seus concorrentes à Palma de Ouro. “Não quero ficar nervoso”, explica. “Quero me divertir e que a exibição do filme seja prazerosa para toda a equipe e para os cinéfilos de todo o mundo que compõem o público”, completa.

LEIA TAMBÉM:

Sonia Braga vai estrelar novo projeto do diretor de ‘O Som ao Redor’

Filme ‘Aquarius’, do brasileiro Kleber Mendonça Filho, concorre em Cannes

Cinema pernambucano: para brasileiro e gringo ver

Brasileiro ‘O Som ao Redor’ é premiado em Nova York

Mendonça já esteve em Cannes como crítico e jornalista, mas nunca como cineasta. Concorrerão com ele grandes e renomados diretores, como Pedro Almodóvar, Xavier Dolan e Olivier Assayas. Ele faz uma confissão que pode surpreender. “Não quero ser piegas, mas de todos os autores da seleção tem um de que gosto muito e que foi fundamental para que eu quisesse fazer cinema. Conheço-o e o admiro desde que vivi em Londres. É Paul Verhoeven. Seus primeiros filmes na Holanda eram viscerais e depois ele continuou sendo um grande autor em Hollywood. RoboCop é uma obra-prima, assim como Conquista Sangrenta. São filmes que amo”, disse. Verhoeven participa da competição com Elle, interpretado por Isabelle Huppert.

O diretor pernambucano, que ficou famoso após o bem-sucedido filme de estreia O Som ao Redor, de 2012, agora aposta na trama de uma viúva, jornalista aposentada, chamada Clara (Sonia), que vive com seus três filhos adultos e possui o poder de viajar no tempo. Seu primeiro longa foi considerado pelo jornal The New York Times como um dos dez melhores de 2012 e saiu vencedor do Festival de Cinema de Nova York.

(Da redação com Estadão Conteúdo)