Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

‘Quando casei, sabia que não era bom pra mim’, diz Marília Gabriela

Apresentadora conta que virou um 'animal solitário': 'Descobri que o trabalho era a minha vida social'

Por Estadão Conteúdo - 4 set 2018, 11h58

A apresentadora Marília Gabriela, que foi casada com o ator Reynaldo Gianecchini, o astrólogo Zeca Cochrane e o empresário Reinaldo Haddad, falou a respeito do matrimônio em entrevista ao Conversa com Bial, que irá ao ar na próxima sexta-feira, 7.

Marília afirmou que o casamento não era necessariamente algo positivo em sua vida: “Quando me casei, sabia que aquilo não era bom pra mim. Casei porque eu gostava demais, queria estar junto em tempo integral”.

A jornalista ainda contou sobre mudanças em sua vida ao longo do tempo: “Eu virei um animal solitário, mesmo. Leio, vejo série, fico em silêncio. Meu celular não toca mais. Fui afunilando as minhas amizades frequentes, os encontros, fui ficando sozinha e descobri que o trabalho era a minha vida social. Voltar para casa era minha hora de ficar sozinha”.

Marília citou a morte do ator José Wilker, em abril de 2014, como um dos motivos pelos quais encerrou o De Frente Com Gabi, que foi ao ar pelo SBT até o início de 2015.

Publicidade

“Depois da morte do Wilker, conversei com o meu psicanalista na época, Contardo Calligaris, e disse a ele: ‘Se eu morrer em um fim de semana, em casa, só vão me descobrir na segunda-feira à tarde [por estar sempre sozinha]. A não ser quando faço teatro! Ele falou ‘Ótimo, vão te descobrir na própria sexta!'”

Em 2016, Marília Gabriela voltou a fazer entrevistas ao apresentar uma ‘reedição’ do TV Mulher no canal pago Viva, seu trabalho mais recente na TV. Atualmente, tem trabalhado no teatro, com a peça Casa de Bonecas – Parte 2.

Publicidade