Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Petição para recontratação de James Gunn ultrapassa 170.000 assinaturas

Diretor foi cortado da franquia 'Guardiões da Galáxia', depois de ter tuítes com mensagens ofensivas resgatados

Uma petição online para a recontratação de James Gunn como diretor do terceiro filme da franquia Guardiões da Galáxia já ultrapassou mais de 170.000 assinaturas. O cineasta foi cortado pela Disney na última sexta-feira, depois que sites americanos resgataram mensagens ofensivas publicadas por ele no Twitter há alguns anos. Os tuítes, a maior parte publicados de 2008 a 2011, faziam piada com estupro, pedofilia e aids.

“Concordo com a maioria, incluindo o próprio Gunn, que as piadas eram de mau gosto e sem graça, mas eram apenas piadas. Não eram uma opinião ou uma declaração, só uma tentativa ruim de ser engraçado”, afirma a carta aberta da petição. “Se fizerem isso com o Gunn, terão que fazer o mesmo com todos os outros diretores que soltaram piadas inadequadas durante a vida, que são todos eles.”

Apesar de terem sido apagados pelo diretor, os posts foram reproduzidos em prints que circulam pela internet. Em uma das mensagens, James Gunn diz: “Rir é o melhor remédio. Por isso eu dou risada de pessoas com aids”. As publicações foram resgatadas por defensores do presidente americano Donald Trump, a quem Gunn critica constantemente em suas redes sociais.

 

Após a repercussão negativa, Gunn foi ao Twitter se explicar. “Muitas pessoas que acompanham a minha carreira sabem onde comecei. Eu me via como alguém provocador, fazendo filmes e contando piadas que eram ultrajantes e tabus”, escreveu.

“Assim como debati publicamente muitas vezes, me desenvolvi como pessoa, e o mesmo aconteceu com meu trabalho e meu humor. Os dias em que falava algo só para chocar e chamar a atenção acabaram.”

Sem um novo diretor anunciado, Guardiões da Galáxia Vol. 3 tem previsão de estreia para 2020.

(Com AFP e EFE)