Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Paul McCartney processa Sony por direitos autorais dos Beatles

Cantor briga por 267 músicas dos Beatles que Michael Jackson adquiriu em 1985

Por Da Redação - 19 jan 2017, 13h20

Paul McCartney entrou com um processo judicial nessa quarta em um tribunal federal de Nova York contra o ATV, selo musical da Sony, buscando os direitos autorais de 267 músicas dos Beatles que o cantor Michael Jackson havia adquirido duas décadas antes de sua morte.

Tudo começou em 1985, quando o rei do pop superou a oferta de McCartney na compra dos direitos das músicas, pagando 47,5 milhões de dólares para obter o acervo de 4.000 canções do empresário australiano Robert Holmes.

As músicas dos Beatles e o resto da coleção – que inclui ainda clássicos de Bob Dylan, Joni Mitchell e Stevie Nicks – foram colocados sob uma joint-venture que Jackson formou em 1995 com o selo musical da Sony, criando a Sony/ATV Music Publishing, hoje a maior gravadora do mundo.

Com a morte do cantor, em 2009, administradores de suas propriedades decidiram vender em 2016 a fatia de Jackson na Sony/ATV por 750.000 dólares.

Publicidade

De acordo com o processo, McCartney notificou a Sony/ATV em outubro de 2008 que desejaria reivindicar os direitos das dezenas de músicas que ele co-escreveu com John Lennon entre setembro de 1962 a junho de 1971. As músicas compõem a maior parte do catálogo dos Beatles, que inclui sucessos como All You Need is Love e I Want to Hold Your Hand.

O processo afirma que a Sony/ATV até agora não reconheceu o compositor como responsável sobre os direitos autorais dessas músicas, de acordo com a lei americana. Em comunicado por e-mail, a empresa chamou o processo de “desnecessário e prematuro”.

(Com Reuters)

Publicidade