Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Patrícia Motta estreia na SPFW com top Shirley Mallmann

Marca pisa pela primeira vez na semana de moda com coleção que aposta em cortes com ar retrô, nas cores preta, branca, azul, vermelho e nude

Croquis de dois looks que serão desfilados pela estilista Patrícia Motta na SPFW Croquis de dois looks que serão desfilados pela estilista Patrícia Motta na SPFW

Croquis de dois looks que serão desfilados pela estilista Patrícia Motta na SPFW (/)

A estilista mineira Patrícia Motta, conhecida por seu trabalho com couro, é a principal novidade na line-up da atual edição da São Paulo Fashion Week (SPFW). Já conhecida pelos desfiles da Minas Trend Preview, a dona da marca que leva o seu nome levará para a passarela paulistana, na tarde desta quinta-feira, a modelo brasileira Shirley Mallmann. Famosa nos anos 1990, Shirley continua bela e cobiçada, apesar de ter 36 anos, idade considerada avançada para o mundo fashion.

Sobre a coleção a ser desfilada, Patrícia aposta em cortes femininos com um ar retrô e nas cores preta, branca, azul, vermelho e nude. A estilista também promete inovação no trato com o couro de carneiro, DNA da marca.

“O couro vem em texturas diferenciadas como navalhado, dublado, matelassado, bordado e vazado. Também será combinado com tecido chamois“, diz Patrícia ao site de VEJA. “Trabalhamos com shape dos anos 40. Nos detalhes, teremos peças com bordados de swarovski.”

Leia também:

Gisele Bündchen chega ao Brasil para desfilar na SPFW

Melissa: do pé das famosas para a passarela do SPFW

Atualmente, a marca tem duas lojas próprias em Belo Horizonte, e pode ser encontrada em multimarcas no Brasil, França e Rússia. Enquanto algumas grifes nacionais já se renderam à mão de obra estrangeira, principalmente a chinesa, por causa dos altos preços brasileiros, Patrícia garante que seu produto é artesanal e todo feito por aqui.

“O trabalho é exclusivo e cada peça é elaborada uma a uma. Mas o governo brasileiro precisa apoiar mais a moda. Nossos impostos são muito altos e isso prejudica o crescimento da indústria como um todo”, afirma a estilista.