Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Os melhores endereços para tomar drinques em Porto Alegre

Confira os endereços da categoria que valem a visita

O roteiro a seguir integra a edição digital de VEJA COMER & BEBER Porto Alegre 2018/2019:

Capone Drinkeria
Inspirado nos bares speakeasy da época da Lei Seca americana, dispõe de um único indicativo na fachada: uma taça de martíni em neon. Um dos drinques mais elogiados, o scarface leva brandy, suco de limão-siciliano, soda, calda de gengibre e açúcar de baunilha na borda da taça (R$ 22,00). É fã de negroni? Prove a versão do coquetel servida em copo defumado com laranja desidratada e café (R$ 22,00). Para enganar o estômago, a clientela tende a preferir as batatinhas assadas recheadas com cream cheese e ervas (R$ 23,00). Rua Castro Alves, 449, Rio Branco, ☎ 3372-6021 (30 lugares). 19h/0h (fecha dom.). Aberto em 2013.

Charlie Pub
Dos mesmos donos da doceria Charlie Brownie, em Mont’Serrat, aposta na harmonização de drinques com sobremesas. O kyr royal, por exemplo, feito com espumante e licor de cassis (R$ 18,90), é indicado para acompanhar o brownie com doce de leite e nozes carameladas (R$ 16,90). Já o aperol spritz cai bem com a torta de brownie trufado de chocolate meio amargo (R$ 12,00). De quarta a sábado, das 19h às 21h, quem pede um chope Heineken (R$ 11,90, 300 mililitros) ganha outro. Rua General Lima e Silva, 795, Cidade Baixa, ☎ 3391-3901 (45 lugares). 15h/21h (qua. a sáb. 15h/0h). Aberto em 2016.

Dirty Old Man
Basta observar as referências nas paredes para entender quem está por trás do nome do bar. O homenageado do endereço é o poeta, escritor e boêmio americano Charles Bukowski (1920-1994). Dono de um estilo em geral obsceno e bem coloquial, ele passou a ser relacionado à alcunha de “velho safado” ao assinar uma coluna de jornal que, posteriormente, virou livro: Notes of a Dirty Old Man. Outra característica marcante do lugar, com jeitão e aconchego de pub, é sua lista de drinques. Ela chama atenção pela variedade — são mais de 100 — e pelos preços módicos, uma estratégia dos sócios Leônidas Rübenich e Lourenço Testa para deixar esse universo mais acessível. Entre as estrelas da carta, os coquetéis clássicos, o manhattan dry sai por R$ 17,00 e o negroni por R$ 16,00. As bebidas alcoólicas nacionais predominam nas fórmulas, mas o uso de rótulos importados pode ser negociado, com acréscimo no custo. Um dos preparos autorais é o elixir do leprechaun, feito com espumante brut, licor de kiwi, gim, soda, hortelã e espuma cítrica (R$ 19,00). O tom etílico aparece nos comes da casa. Quase todas as receitas levam um ingrediente com álcool, caso das iscas de frango flambadas com Martini Rosso, acompanhadas de maionese de ervas finas e fatias de pão (R$ 35,00). Fãs de cerveja têm oito torneiras de chope à disposição, nas quais se revezam produtos artesanais do estado. Rua General Lima e Silva, 956, Cidade Baixa, ☎ 3085-8227 (110 lugares). 18h/0h (sex. e sáb. até 1h). Aberto em 2011.

Josephyna’s
Os drinques ganham nomes divertidos, como provam o josemula (R$ 22,00), uma variação do moscow mule, e o berocca, feito com tequila, aperol, gengibre, limão, mel e suco de tangerina (R$ 20,00). Para acompanhar, o público aposta nas empadas recheadas de frango ou carne (R$ 6,50 cada uma). Na seção de sobremesas, há brownie de chocolate branco com framboesa ou de chocolate meio amargo com nozes (R$ 4,00 cada um). Rua General João Telles, 531, Bom Fim, ☎ 3084-5444 (24 lugares). 10h/21h (qui. e sex. até 0h; sáb. 16h/0h; dom. 16h/21h; fecha seg.). Aberto em 2016.

Mini
A mixologista Claudia Schumacher prepara coquetéis requintados como o sicília, união de conhaque, mel, xarope de gengibre, limão-siciliano e soda de limão (R$ 20,00), e o venenosa, feito com pisco, xarope de pimenta vermelha, sucos de abacaxi e limão-taiti e noz-moscada (R$ 22,00). Para acompanhar, prove a pizza em homenagem à atriz Monica Belluci, com calabresa, berinjela e pimenta (R$ 29,00). Rua General João Telles, 541, Bom Fim. Não tem telefone (20 lugares). 18h/0h (fecha dom. e seg.). Aberto em 2014.

Vasco da Gama 1020
Reputado como um dos melhores bares de drinques da cidade, é comandado pelas bartenders Bruna Abeijon e Bianca Kamimura. A dupla prepara boas invenções como o coquetel marear, feito com rum, licor Midori, bitter de algas, água tônica e limão (R$ 20,00), e o jubaí, junção de cachaça envelhecida, Amarogutta, tamarindo, bergamota e maracujá (R$ 23,00). Para quem prefere cerveja, a casa dispõe de cinco torneiras nas quais são engatados barris de marcas artesanais variadas, caso da pale ale, de fabricação própria (R$ 11,00 ou R$ 19,00, com 284 e 568 mililitros, respectivamente). Rua Vasco da Gama, 1020, Rio Branco, ☎ 99918-4263 (50 lugares). 18h/0h (fecha dom. e seg.). Aberto em 2015.