Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Os melhores cafés da Serra Gaúcha

Confira os endereços da categoria que valem a visita mais opções que servem café colonial

O roteiro a seguir integra a edição digital de VEJA COMER & BEBER Porto Alegre 2018/2019:

Dolce Gusto
A experiência com pães está na família Dalla Costa desde 1973, quando o patriarca, Claudino, inaugurou a padaria Princesa. Os filhos dele, inspirados na trajetória, investiram em um novo negócio, com pegada europeia e menu encorpado. Entre os cafés, o que é preparado com creme de avelã (R$ 10,00) mantém-se na lista dos preferidos e leva expresso, avelã picada e cobertura de chantili na receita. Na linha salgada, o wrap de frango (R$ 9,00) ganha cebola caramelada, tomate e mussarela. A torta de creme de bombom (R$ 8,25 a fatia) e a de maçã (R$ 8,00 a fatia) conquistam elogios. Aos sábados, o local tem café da manhã com direito a sanduíches, fatias de tortas, waffle, doces, salgados, cafés e sucos naturais (R$ 24,00 por pessoa). Rua Herny Hugo Dreher, 463, São Bento, Bento Gonçalves, ☎ (54) 3055-3366 (136 lugares). 8h/19h30. Aberto em 2001.

Café São Bernardo
A decoração simples, com paredes revestidas de madeira e tijolos à vista, chama a atenção para o cardápio. O cappuccino preparado com chocolate belga e leite condensado (R$ 16,00) é a salvação para os dias de inverno. Sanduíche de queijo com linguiça (R$ 18,00) e sanduíche com queijo serrano (R$ 10,00) complementam o rol de salgados. Parte dos doces do estabelecimento é exibida em uma vitrine, caso da torta russa feita de bolacha com recheio de chocolate meio amargo, gordura de coco e nozes (R$ 14,00 a fatia). Avenida Júlio de Castilhos, 785, centro, São Francisco de Paula, ☎ (54) 99994-1405. 14h30/19h (fecha seg. e ter.). Aberto em 2015.

Filó Café
Para abrigar a cafeteria, o porão de uma casa foi reformado e ganhou símbolos da colonização italiana, como cestos de palha, louças e quadros de família. Orgulhoso por manter produtos artesanais no cardápio, o estabelecimento tem como diferencial o sanduíche filó (R$ 19,00), preparado com pão de vinho de fermentação natural, recheio de copa, queijo colonial, figo, rúcula e azeite de oliva. Entre os cafés, o limoncello leva expresso, licor de limão e chantili (R$ 10,00). O doce mais pedido é o sonho recheado de goiabada ou uvada (R$ 8,00, quatro unidades). Rua das Videiras, 3365, Vale dos Vinhedos, Garibaldi, ☎ (54) 99927-3880 (60 lugares). 9h/18h (sáb. e dom. até 19h30; fecha seg. e ter.). Aberto em 2017.

Le Petit Sablé
A chef Catherine Tedesco abandonou a carreira de modelo em Paris para se dedicar a uma grande paixão: a comida. Aproveitou a ocasião e criou um ambiente inspirado no filme preferido, O Fabuloso Destino de Amélie Poulain. O cardápio é delicado e inclui coxinha vegana (R$ 6,50), elaborada com farinha de arroz e batata-doce. Há também o strudel de espinafre com ricota com massa folhada caseira (R$ 8,00). Para quem aprecia doces, tem bom conceito o brownie com musse de leite em pó com creme de avelã (R$ 9,00). Os cafés mais pedidos são o cappuccino brûlé (R$ 8,50) e o passado simples, filtrado no Hario V60 (R$ 10,00). Rua Dante Grossi, 154, sala 2, centro, Garibaldi, ☎ (54) 3462-2383 (30 lugares). 9h/19h (ter. 14h/19h; dom. 14h30/19h30). Aberto em 2017.

Media Luna Restobar e Cafeteria
Sobre as mesas repousam quadrinhos da Mafalda, ícone da cultura pop argentina. Nas paredes, cores e rabiscos fazem alusão ao país vizinho. A intenção da casa é levar o cliente à Argentina, objetivo que se fortalece no cardápio, com receitas preparadas pelo casal Marina Prati e Filipe Ehlers, que residiu por cinco anos em Buenos Aires. Uma delas é a empanada de cebola caramelizada com gorgonzola (R$ 7,00); outra, a medialuna de doce de leite (R$ 5,00). O clássico cappuccino custa R$ 8,00. Avenida Osvaldo Aranha, 290, sala 101, centro, Canela, ☎ (54) 3282-1773 (40 lugares). 9h/19h (fecha seg.). Aberto em 2017.

Ovelha Café Literário
Em um casarão da metade do século XX, o endereço é ponto de encontro de grupos de mulheres, casais e empresários. No menu, os cafés merecem atenção. Há opções de preparo V60, na prensa francesa, aeropress e passado no coador de pano. Faz bela companhia o sanduíche no pão ciabatta com presunto de Parma e figos (R$ 18,00). Aos amante dos doces, a torta banoffee (R$ 11,00) é uma tentação. A receita leva bananas, doce de leite feito pela casa e chocolate. Ajuda a aquecer a refeição o chocolate quente com pimenta (R$ 8,00). Rua Doutor Agnaldo da Silva Leal, 187, centro, Bento Gonçalves, ☎ (54) 99174-3555 (50 lugares). 12h/20h (sáb. até 19h30; dom. 14h30/19h30; fecha na seg.). Aberto em 2017.

Viverone Café
Funcionando nas dependências do Laghetto Viverone Hotel, o ambiente tornou-se famoso pela happy hour mensal. Ali desgustam-se os doces e salgados criados pela chef Jerusa Vanni, que ficam dispostos em uma mesa. Bastante elogiada, a torta de maçã leva pedaços da fruta crua (R$ 12,00 a fatia). O salgado mais pedido é a quiche de frango (R$ 12,00 a fatia), que vai bem ao lado de uma xícara de chocolate quente ou cappuccino (R$ 12,00 cada um). Rua Carlos Flores, 301, São Bento, ☎ (54) 3449-1914 (45 lugares). 13h/22h30 (dom. 16h/22h). Aberto em 2011.

CAFÉ COLONIAL

Bela Vista
A tradição de cobrir uma mesa inteira com doces, bolos, pães, frios, salgados e bebidas tem muito a ver com a história de Gramado. Quando a cidade mal completava sua maioridade, o dentista Jayme Prawer decidiu comercializar uma refeição com tudo o que os colonos costumavam servir para ele em suas consultas domiciliares. A iniciativa deu origem a este endereço de café colonial e a uma das especialidades culinárias mais conhecidas e queridas da Serra Gaúcha. Desde muito cedo, o Bela Vista foi regido por Lira Caliari, a primeira doceira da casa. Ela incrementou o cardápio com receitas de família e, depois, tornou-se proprietária do lugar. Funcionando ao longo da tarde e da noite, o estabelecimento chegou à oferta dos oitenta itens atuais e virou sinônimo de fartura gastronômica. Aqui, o cliente paga um preço fixo de R$ 75,00 e tem a mesa forrada por produtos caseiros. Disputam espaço bolos de chocolate, cenoura, amendoim, limão e laranja. Apreciadores de frituras podem se esbaldar com croquete de frango e rissole de presunto e queijo. Há também polenta frita, pizza de atum e torta fria. No setor mais proteico, surgem filé de frango grelhado, linguiça e lombo de porco. Café, leite, chocolate quente e frio, chá, suco de uva e vinho fazem parte do rol de bebidas. Ao final, quem tiver fôlego para um docinho recorre a um balcão exclusivo de sorvetes e tortas, incluindo a tradicional marta rocha. Avenida das Hortênsias, 3500, Gramado, ☎ (54) 3286- 1608 (342 lugares). 11h30/23h (sáb. e dom. A partir das 10h). Aberto em 1972.

Café Colonial Família Foss
Produzidos pelas mãos da nonna Zulmira Foss, pães, geleias e cucas aparecem como protagonistas do café colonial que contempla cinquenta itens. Os produtos são colocados na mesa em um banquete que custa R$ 55,00 por pessoa. Pizza de frango, cuca de uva, bolo de laranja, salsicha bock e torresmo fazem parte do cardápio. O café com leite e o chá de maçã com canela são servidos à vontade. Linha Bonita, Gramado, ☎ (54) 99968-3395 (60 lugares). 8h/20h. Aberto em 1998.

Coelho Café Colonial
A dica para quem escolhe esta casa é deixar um espacinho para a sobremesa. Em especial para a fondue de chocolate e frutas, que fecha com honras o rodízio de mais de oitenta produtos coloniais, todos servidos à mesa. Além disso, valem ser repetidos a bolinha de queijo, o rissole de frango e a torta de maçã. O cardápio inclui suco de uva, vinhos tinto e branco, café expresso, cappuccino, chocolate quente e gelado e chás. O serviço custa R$ 74,00 por pessoa. Avenida das Hortênsias, 5433, Carniel, Gramado, ☎ (54) 3286-2538 (190 lugares). 11h/21h. Aberto em 1988.

Gramado Café Colonial
Em um cenário que reproduz uma casinha do interior, o banquete custa R$ 70,00 por pessoa. A variedade de oitenta receitas típicas da serra é levada à mesa em forma de rodízio. Entre doces e salgados, a pedida é repetir as cucas de uva e de chocolate junto a um suco de laranja natural. Também constam no menu pastéis, bolos, salsichas, geleias, salames e queijos. Para os dias mais frios, o chocolate quente e o café com leite são as apostas. A cada duas pessoas, uma garrafa de vinho (tinto ou branco) é oferecida. RS-235, 1668, Estrada Canela-Gramado, Gramado, ☎ (54) 3282-2317 (110 lugares). 11h30/23h30. Aberto em 1983.

Opa’s Kaffeehaus
Desde 1986, Gerhard Kolb preserva as memórias de família por meio das receitas criadas ainda no período da imigração alemã. Os toques germânicos da decoração são reforçados pela culinária, que traz no serviço (R$ 55,00 por pessoa) destaques como pães de milho e aipim, torresmo e trouxinha de maçã. A variedade de 45 itens é servida na mesa por descendentes de alemães vestidos a caráter. Café com leite, chocolate quente e sucos naturais estão incluídos na sequência. Para finalizar a refeição, a dica é provar a torta com frutas da estação. Rua João Leão, 96, centro, Nova Petrópolis, ☎ (54) 3281-1273. 14h/20h (sáb. 13h/20h; dom. 12h/20h; fecha seg.). Aberto em 1986.

Sabor do Campo
Descendente de alemães, Senia Ackermann aprendeu a fazer nos fornos de barro e no fogão a lenha pães, cucas e bolachas que hoje coloca sobre as mesas para complementar o café colonial. Também fazem parte do vai e vem porções de croquete de aipim com linguiça, bolo de maçã com leite condensado, rissole de queijo, lombinho de porco, pão de nata e minipastel de cebola ao forno. O banquete, que merece ser degustado com calma, custa R$ 60,00 por pessoa. Rua Korbsberg, 271, Piá, Nova Petrópolis, ☎ (54) 3281-9123 (130 lugares). 11h30/21h (fecha seg. a sex.). Aberto em 1998.