Clique e assine com 88% de desconto

Órgão da ONU não confirma contato da Globo sobre pais de Kaysar

Tiago Leifert anunciou no final do 'BBB18' que ONU ajudaria a trazer família do refugiado ao Brasil

Por Estadão Conteúdo - Atualizado em 23 abr 2018, 12h02 - Publicado em 20 abr 2018, 16h59

Durante a final da 18ª edição do Big Brother Brasil nesta quinta-feira 19, o apresentador Tiago Leifert falou ao participante Kaysar Dadour, segundo colocado do reality, que a Organização das Nações Unidas (ONU) ajudaria a trazer sua família da Síria. Kaysar veio ao Brasil como refugiado em 2014, escapando da guerra civil que assola o país, deixando os pais para trás.

Apesar da animação na hora do programa, no Vídeo Show desta sexta-feira 20, Leifert explicou que conversou com Kaysar e baixou o tom sobre o assunto. “A ONU não vai entrar lá [na Síria] falando ‘cadê a família do Kaysar?’, não é isso. Ela é uma organização humanitária que consegue responder às perguntas que ele tem”, explicou o apresentador.

Procurado pela Agência Estado, o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), órgão da ONU que cuida desses assuntos, afirma que a emissora não entrou em contato para falar sobre as tratativas de trazer os pais de Kaysar ao Brasil, pontuando que o processo de reunião familiar é complexo e definido em lei.

Procurada, a Globo informa que “mantém estreita relação” e que sua atuação junto à ONU, no caso do BBB, é para dar a Kaysar “todos os esclarecimentos necessários sobre suas necessidades”.

Publicidade

Confira o comunicado na íntegra:

“A Globo mantém estreita relação com a ONU e suas agências, em prol da discussão de questões de interesse público. Sobre esse assunto específico, houve uma aproximação para dar visibilidade ao tema dos refugiados de uma maneira geral e a Globo e a ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) estão trabalhando juntos numa campanha que irá ao ar em breve. Ao saber do Kaysar, participante do BBB18, a ACNUR, que trabalha para proteger e promover soluções para refugiados em todo mundo, se colocou também à disposição para dar a ele todos os esclarecimentos necessários sobre suas necessidades, como faz com todas as pessoas na mesma situação”.

Publicidade