Clique e assine com 88% de desconto

‘O Artista’ é o grande campeão do Oscar de 2012

Por Raissa Pascoal - 27 fev 2012, 01h43

A noite foi do francês O Artista. Mas foi também de Hollywood. O longa, que venceu em cinco categorias, incluindo três das quatro principais, se tornou a primeira produção de um país de língua não inglesa a ganhar o prêmio de melhor filme no Oscar, festa do cinema americano que tradicionalmente laureia a própria lavra. Mas O Artista é francês apenas de origem: sua forma e seu conteúdo são americanos. O longa, que narra a transição do cinema mudo para o cinema falado nos Estados Unidos, se apropria da linguagem do cinema feito sem som, com cartelas para contar diálogos, para homenagear Hollywood. Foi, aliás, o segundo filme mudo a vencer a premiação — o primeiro foi Asas, no ano de estreia do Oscar, 1929.

Para chegar ao topo, O Artista desbancou o favoritismo de A Invenção de Hugo Cabret, de Martin Scorsese. E não apenas na maior das categorias do Oscar. Venceu também na categoria melhor diretor, onde obteve outro feito inédito: Michel Hazanavicius, ao superar Martin Scorsese, se tornou o primeiro diretor francês a ter uma estatueta dourada. Na categoria melhor ator, em que Hugo não concorria, Jean Dujardin derrotou outro forte candidato: George Clooney, apontado como favorito por sua atuação no drama Os Descendentes. O Artista apenas não concoreu na categoria melhor atriz, que premiou Meryl Streep pela atuação em A Dama de Ferro.

Desde o começo, apostava-se que O Artista e A Invenção de Hugo Cabret polarizariam a cerimônia, já que ambos os filmes faziam elogio à arte do cinema. Enquanto Scorsese relembra as invenções do francês George Mèliés, um dos precursores dos efeitos especiais, Hazanavicius resgata o modelo de cinema mudo e em preto e branco para contar a história de um ator em decadência após a chegada do cinema falado em Hollywood, na década de 1930. Apesar de terem empatado no número de estatuetas — cinco cada uma –, pode-se dizer que O Artista levou a melhor porque saiu vitorioso em categorias mais relevantes.

Além dos prêmios principais, O Artista foi o preferido nos quesitos figurino e trilha sonora, vencendo cinco das 10 categorias que disputou. A Invenção de Hugo Cabret também fechou a noite com cinco prêmios, todos, porém, nas categorias técnicas: fotografia, direção de arte, edição e mixagem de som e efeitos visuais. Distribuição vencedora — Vale destacar que O Artista, filme que teve orçamento de 15 milhões de dólares e faturou ao menos 60 milhões em todo o mundo, teve a sua distribuição nos Estados Unidos, assim como no Reino Unido e na Austrália, a cargo dos irmãos Weinstein. Fundadores da Miramax, que depois seria incorporada pela Disney, e hoje à frente da Weinstein Company, os irmãos foram responsáveis por grandes sucessos comerciais e de premiação. Em dois anos seguidos, emplacaram dois vencedores do Oscar. Sim, foram eles os distribuidores de O Discurso do Rei, o grande vencedor de 2011.

Publicidade

Publicidade