Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Novo filme de Jackie Chan é acusado de estereotipar indianos

Imprensa indiana alega que 'os personagens de Kung Fu Yoga não conseguem dar alguns passos sem encontrar encantadores de cobras'

Por Da redação - 6 fev 2017, 18h13

Kung Fu Yoga, novo filme de Jackie Chan, foi acusado de reforçar estereótipos antiquados e ofensivos em relação aos indianos. Uma coprodução entre China e Índia, o longa pretendia “combinar” tradições de ambos os países, mas segundo alguns críticos, acabou agradando um só lado da equação.

No filme, Chan interpreta um professor de arqueologia sai em busca de um tesouro no Tibet, junto um arqueólogo indiano. Apesar de bem recebido pelos chineses, a crítica especializada da Índia não poupou comentários negativos à produção. “Uma série de falhas, vestidas de inautenticidade como um distintivo de honra” publicou o site The Wire. Já o site The Daily O escreveu que a produção “reafirma os estereótipos que a China tem sobre a Índia” e que os personagens não conseguem dar alguns passos sem encontrar encantadores de cobras.

Kung Fu Yoga marca a reunião de Jackie Chan e Stanley Tong, diretor de Arrebentando em Nova York. A produção estreou na China no último dia 28, e não tem previsão de estreia no Brasil.

Confira abaixo o trailer:

Publicidade

Publicidade