Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Normani, do Fifth Harmony, deixa o Twitter após ataques racistas

'Fui vítima de bullying racial, com tuítes e fotos tão horríveis e com conteúdos racistas que eu não posso me sujeitar mais ao ódio', diz a cantora

Normani Kordei, uma das integrantes do grupo Fifth Harmony, decidiu dar um tempo no Twitter após uma série de mensagens racistas. Em seu perfil na rede social, ela postou textos ao longo do fim de semana, explicando o motivo da pausa.

“Pelos últimos quatro anos, sendo uma figura pública, eu aprendi a criar uma ‘blindagem’ para críticas e para aqueles que não gostam de mim. Eu nunca fui de refutar a opinião de ninguém, mas durante a última semana, e especialmente nas últimas 48 horas, eu não fui apenas vítima de cyberbullying, mas de bullying racial, com tuítes e fotos tão horríveis e com conteúdos racistas que eu não posso me sujeitar mais ao ódio”, diz a cantora.

LEIA TAMBÉM:
Em SP, Fifth Harmony contorna falhas técnicas com carisma e rebolado
Fifth Harmony critica fãs após invasão em hotel de Brasília
Esgotados aqui em 2h, ingressos do Fifth Harmony encalham nos EUA

Na nota, ela ainda fala que não é a primeira artista negra a lidar com isso e que não será a última, mas que quer aproveitar o momento para dizer que “o amor vai muito mais longe do que o ódio” e que “ficar escondido atrás de um computador e colocar as pessoas para baixo, especialmente pela cor da pele delas, não faz de você alguém legal, faz de você um covarde”.

As outras integrantes da girlband postaram notas de apoio em seus perfis no Twitter, pedindo mais amor e mais respeito. Camila Cabello, por exemplo, disse que os fãs não precisam “odiar outra pessoa” para apoiá-la. “Seja bom ou siga em frente”, pediu, enquanto Ally Broke disse estar “orando muito por este mundo e pelo coração das pessoas”.

(Com Estadão Conteúdo)