Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

No Morumbi lotado, show do Foo Fighters é salvo por hits

Banda americana mesclou canções famosas, covers e faixas do novo disco, enquanto lutava pela atenção do público ao longo de quase três horas de apresentação

Por Raquel Carneiro - 24 jan 2015, 07h00

Dave Grohl e seus colegas da banda Foo Fighters desfilaram energia – e seus característicos sorrisos – no show em São Paulo, que aconteceu na noite desta sexta-feira no Estádio do Morumbi, para um público estimado em cerca de 60 000 pessoas. Assim como em Porto Alegre, que recebeu os roqueiros quarentões na quarta-feira, a apresentação foi marcada por um setlist que mesclava antigos hits e algumas canções do novo disco, Sonic Highways, lançado em novembro.

“Hoje teremos muitas músicas e quero que vocês cantem cada uma delas”, disse Grohl, entre alguns palavrões, no início do show que durou quase três horas. O pedido do roqueiro não foi completamente atendido. Nas seis primeiras canções, iniciada com Something From Nothing, do novo disco, e seguida pelas antigas The Pretenders, Learn to Fly, Breakout, Arlandria e My Hero, o público se manteve animado, entoando cada uma delas como hinos de futebol.

A partir de Congregation, outra faixa do novo disco, boa parte da plateia ficou dispersa, quebra que piorou com a qualidade do som, que oscilou em diversos momentos e deixou a desejar. O grupo então fez um longo trecho do show seguido apenas pelos fãs mais ávidos. Na pista premium, o clima se tornou de balada (cara) entre amigos. Na arquibancada, o desconforto da lotação.

Leia também:

Publicidade

Courtney Love quer gravar dueto com Dave Grohl

A atenção dos presentes voltou ao palco quando entre as apresentações de Skin and Bones e Wheels, cantadas apenas por Grohl acompanhado de seu violão, um rapaz chamado Vinicius pediu em casamento a namorada Mônica com a ajuda do vocalista e um estádio como testemunha.

Em seguida, Times Like These, outro sucesso da banda, foi cantado do início ao fim pelos presentes, que mostraram sinais de animação, para depois se dispersarem novamente com o trecho de covers, que apresentou faixas de Kiss, Queen e The Faces. O ritmo irregular entre banda a público seguiu até o fim, criando a sensação de que um corte de uma hora na setlist e em parte dos longos instrumentais provavelmente não faria falta.

Apesar dos pesares, Grohl mostrou que continua em forma e que seus vocais estão mais poderosos que nas apresentações anteriores no país, feitas nos festivais Rock in Rio e Lollapalooza. O vocalista soltou suas gracinhas ao microfone, fez piadas com o público, mandou beijos apaixonados e até se recuperou rápido de um tombo quase imperceptível durante a primeira canção. Grohl só dividiu os holofotes com o baterista Taylor Hawkins, que assumiu o vocal em alguns momentos, entre eles no cover Tie Your Mother Down, do Queen. Durante a canção, Hawkins cedeu seu lugar no instrumento ao líder, que ficou famoso pelas baquetas nos anos 1990, com o Nirvana.

Publicidade

Por fim, The Best of You, principal hit do grupo, salvou o show aos 45 minutos do segundo tempo, com uma apresentação apaixonada de Grohl em parceria com a plateia. Clima que se manteve na música derradeira, Everlong. O roqueiro simpático se despede de São Paulo e segue para o Rio de Janeiro, no Estádio do Maracanã, neste domingo, e depois para Belo Horizonte, na Esplanada do Mineirão, onde o Foo Fighters se apresenta na próxima quarta-feira.

Publicidade