Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Nem Fernanda Lima entende as regras do ‘SuperStar’

Na última noite de apresentação das bandas, produção monta ranking para classificar os mais bem votados. Fábio Jr., enfim, começou a participar - com direito a 'selinho'

Por Pollyane Lima e Silva - 28 abr 2014, 17h48

Além de novas bandas, vozes e rostos, SuperStar tem proporcionado ao telespectador, a cada exibição, a emoção de uma “regra surpresa”. A quarta noite do reality show de bandas da Globo teve, como forma de evitar um fim precoce das apresentações, um formato diferente dos demais. Assim, além de obter os 70% de aprovação popular, os candidatos foram, ao fim da noite, classificados em um ranking no qual só seis foram aprovados – evitando, por exemplo, que o público desse ‘sim’ a uma atração depois de os jurados Ivete Sangalo, Fábio Jr. e Dinho Ouro Preto terem completado suas equipes.

Leia também:

Leia também: No ‘SuperStar’, tudo é ao vivo. Menos a música

Fernanda Lima se embolou com a mudança. “Fazer o telão subir não significa mais nada”, anunciou a apresentadora. E já na segunda apresentação ela própria se desmentiu. Primeiro, avisou que a banda Lapada precisaria superar o índice da anterior. A produção corrigiu a apresentadora pelo ponto no ouvido e ela, rapidamente, corrigiu-se: “Não, então tá. Continuam valendo os 70%”.

Publicidade

Ficou claro que a produção separou para a última noite um time forte de candidatos. Apenas um grupo não conseguiu levantar o telão – os mineiros do Chaparral. Os dois eliminados da noite conseguiriam, em tese, ser selecionados. Décimos decidiram a classificação de Macucos e a eliminação de Tipo Uísque. Ambos ficaram com 72% dos votos – número que havia aprovado, por exemplo, Trio Violada dois programas antes. “Como mudou a regra do programa, a gente não tem nada a declarar”, disse a vocalista da Lapada, que deixou a competição mesmo com seus 71%.

Leia ainda: Criatividade vence cover: no ‘Superstar’, não há espaço para imitações

Os padrinhos também foram escolhidos no final. Mas eles não tinham mais poder de decisão. Fernanda Lima e André Marques anunciaram como em um jogral quem ficaria com qual jurado. No time de Ivete Sangalo restava uma vaga, no de Dinho Ouro Preto, duas, e no de Fábio Jr, três. E eles, enfim, pareciam mais à vontade na função que lhes cabe. Dinho aprovou até banda de pagode, Ivete explicou por que aprova todo mundo. “É muito difícil para mim, como artista, dizer ‘não’.” E até Fábio parece ter feito a lição de casa – provavelmente depois de um puxão de orelhas do diretor Boninho: fez comentários mais consistentes sobre as bandas, mostrou que tinha pesquisado sobre elas na internet e (acredite!) foi um dos primeiros a votar. É um alívio para a próxima fase, a dos duelos.

Fábio, além de acordar para o programa, passou a entender que os jurados também competem. Inclusive em carisma. O jurado “romântico” aceitou o pedido da mãe da cantora da banda Gafieira Carioca e cedeu um beijo. Ivete Sangalo puxou um coro de “na boca” e o galã veterano, de fato, deu um estalinho, causando gargalhadas e suspiros. Ao fim do programa, Fernanda Lima, para elogiar o aniversariante da noite, passou o comando do microfone para Dinho Ouro Preto: “Arrebenta, Dinho”.

Publicidade

Leia também:

Fernanda Lima comanda o improviso em ‘Superstar’

No ringue dos reality shows: Claudia Leitte 1 x 0 Ivete Sangalo

O que Fábio Jr. faz no júri do ‘SuperStar’? Nem ele sabe

Publicidade

Audições

Na primeira fase, até 50 bandas concorrentes podem se apresentar atrás do telão e, sem saber a porcentagem adquirida, apenas acompanham no painel as fotos daqueles que votam. Quando atingem 70% de votos a favor, o telão sobe, as bandas se revelam e são classificadas para a próxima fase. No final desta etapa, ficam 24 bandas.

Publicidade