Clique e assine a partir de 9,90/mês

Necropsia aponta que Michael Jackson era saudável

Por Da Redação - 1 out 2009, 15h41

O conteúdo completo da necropsia realizada no cantor Michael Jackson foi revelado nesta quinta-feira. De acordo com o documento, os legistas encontraram diversas picadas no braço de Michael, além de muitas cicatrizes em seu rosto e pescoço. No entanto, os médicos não encontraram indícios de que o astro tivesse quaisquer problemas de saúde graves. Segundo eles, o popstar era um homem na faixa dos 50 anos sem quaisquer anormalidades no funcionamento de órgãos como coração e rins.

Os legistas também descobriram, segundo o tabloide inglês The Sun, que Michael fez uma espécie de tatuagem para cobrir sua careca – o rei do pop sofreu um acidente na gravação de um comercial em 1984, no qual sofreu sérias queimaduras em seu couro cabeludo. Foram diagnosticados ainda pequenos problemas de saúde, como artrite na espinha e em alguns dedos, além de pequenas anomalias em algumas artérias de sua perna.

Segundo os médicos, os 61 quilos do cantor eram um peso normal para um homem de sua altura (1,75 metro) e idade. Michael também fez tatuagens na suas sobrancelhas e lábios.

O relatório aponta, ainda, que os problemas pulmonares de Jackson não eram graves o suficiente para contribuir com a morte do astro pop. “Sua saúde em geral era boa”, disse o dr. Zeev Kain, presidente do departamento de anestesiologia da Universidade da Califórnia, que analisou uma cópia do resultado da necropsia a pedido da agência de notícias Associated Press. “Os resultados estão dentro dos limites normais.”

Publicidade