Clique e assine a partir de 9,90/mês

Na estreia de Hebe na Rede TV, música sertaneja, Dilma com açúcar e recados pessoais a Silvio Santos

Primeiro programa da apresentadora em nova emissora, após 25 anos de SBT, reúne famosos e quase-famosos em noite de gala em Osasco

Por Maria Carolina Maia - 2 mar 2011, 14h17

Publicitários, famosos e quase famosos se reuniram em Osasco, na Grande São Paulo, para prestigiar a gravação do primeiro programa de Hebe Camargo na Rede TV. No maior estúdio da emissora, sob enormes lustres de formato fálico, convidados vestidos para uma noite de gala se dividiram entre mesas redondas e gruas de televisão para acompanhar a performance de Hebe. Em forma, a apresentadora mostrou desenvoltura no palco, onde só uma vez refez uma cena, e disposição para temperar piadas com teor sexual, receber românticos e sertanejos e disparar recados ao ex-patrão, Silvio Santos.

“Silvio, eu sei que você não está me vendo, mas alguém te conta: fique pronto para a vida, porque a gente é capaz de amar e recomeçar sempre”, disse, num certo momento, ao lembrar que ela mesma estava recomeçando, após vencer o câncer e mudar de emissora. Mais tarde, ela diria numa rápida entrevista coletiva que Silvio a “menosprezou”. Em outro ponto da gravação, ao falar com Roberto Justus, na plateia ao lado da mulher, Ticiane Pinheiro, ela destacou as mudanças de horário do programa do ex-colega, problema que enfrentou diversas vezes no SBT. E comemorou que o seu, agora com 1h45 de duração, irá ao ar todas as terças, às 22h, sem mudanças à vista.

De raciocínio rápido, Hebe fez inusitados links entre assuntos diversos durante a noite. Foi ao cumprimentar os tucanos José Serra e Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, por exemplo, que lembrou de anunciar a entrevista gravada em Brasília com a presidente Dilma Rousseff. Só depois ela cumprimentou o petista “Zé Dirceu”, sentado à mesa “ao ladinho de Zé Serra”.

A entrevista feita no Palácio da Alvorada não foi exibida na íntegra, mas quem esteve presente à gravação pôde ter ideia do que será visto dia 15, quando vai ao ar o primeiro programa de Hebe na Rede TV: uma Dilma “gracinha”, capaz de contar histórias do cachorro “negão” e de cantarolar versos de Roberto Carlos sem medo de desafinar. “Você já ouviu falar em político bravo? Eu, não. Aí, cheguei à conclusão de que os homens eram todos meigos. A única brava era eu”, fala uma doce Dilma a Hebe.

Continua após a publicidade

Roberto Carlos, aliás, não faltou ao programa. Ele, em pessoa, não esteve lá, porque a Globo não liberou o uso da sua imagem. Mas um sósia seu – com quem Hebe se casou de brincadeira em Las Vegas – e a cantora Paula Fernandes – com quem, dão conta os boatos, o cantor estaria vivendo um affair desde a apresentação de fim de ano em Copacabana – o tornaram presente à gravação. Hebe, aliás, não poupou Paula, uma espécie de cantora romântica com pegada sertaneja, de suas piadinhas. “Não tem como ouvir essa voz e não ficar apaixonada. Eu entendo o Roberto, coitado”, disse a apresentadora. “Hebe, assim você vai me comprometer”, respondeu Paula, que negou o romance todas as vezes. “Eu tive apenas o privilégio de ser reconhecida num universo de estrelas.”

Completaram o time de músicos sobre o sofá de Hebe o ator e cantor Daniel Boaventura – este sim, cedido pela Globo – e os sertanejos Daniel, Sérgio Reis e Luan Santana, o terno abotoado na barriga providencialmente cobrindo a cintura fina.

A primeira festa de Hebe – Houve duas festas na sede da Rede TV, na noite desta terça-feira. Uma no estúdio onde foi gravado o programa Hebe e em seguida servido um jantar aos seus cerca de 500 convidados. Outra, nas duas horas que antecederam a gravação. À medida que entravam na sede da emissora, em Osasco, os convidados famosos e principalmente os quase-famosos, a maioria no recinto, eram cercados por repórteres e fotógrafos ávidos por intimidade.

Ainda na fila para receber a sua credencial, um jornalista tentou forçar amizade com Paulo Trevisan, diretor do novo programa de Hebe Camargo. “Grande Paulo, que dirigiu o programa Sandy & Junior, na Globo…”, disparou para Trevisan, que se retirou em seguida, discretamente.

Continua após a publicidade

Marcello Camargo, filho de Hebe, foi um dos primeiros convidados a chegar. Cercado pela imprensa, ele contava que apoiou a mãe a deixar o SBT, embora ele mesmo estivesse indo para lá. Marcelo será um policial na novela Amor e Revolução, a nova trama escrita por Tiago Santiago para o canal de Silvio Santos. “Há momentos na vida em que a gente tem de recomeçar.”

Mais à frente, se vê Kiko, do KLB, que, derrotado nas urnas, prepara novo disco com os irmãos Leandro e Bruno. Que nome terá o CD? “Não sei ainda, nós não costumamos dar adjetivo aos nossos álbuns”, explica o cantor, se atrapalhando com a sintaxe. “Acho que vai ser só KLB, mesmo.”

Num confronto de ex, o ex-Polegar Rafael Ilha entrevista a ex-BBB Íris Stefanelli, ambos do elenco da Rede TV. “Estou feliz com a chegada de uma pessoa do bem”, dizia Íris, em sintonia com o bem chato Mauricio, seu calouro, que discrimina as pessoas pelas ondas de energia no Big Brother Brasil.

É nesse embate de candidatos ao reality show A Fazenda, da Record, que surge o sertanejo Daniel, o mais famoso a despontar no evento até então. Uma jornalista suspira: “Será que os efetivamente famosos vão falar com a imprensa?” Ela não é a única interessada: diversos repórteres se reúnem ao lado de uma grade que separa Daniel e um camarim envidraçado do restante dos jornalistas e convidados – espaço frequentado não por todos os convidados, e sim por aqueles que irão subir ao palco mais tarde. Mas o sertanejo acaba atendendo primeiro a uma repórter que está sozinha do outro lado da grade. Chovem vaias e gritos de “sacanagem” contra a colega que furou o resto da imprensa.

Continua após a publicidade

Ali perto, Amilcare Dallevo, dono da Rede TV, comemora a boa performance comercial de Hebe, por cuja contratação ele é o maior responsável. Segundo Dallevo, o programa da apresentadora estreia com todas as cotas de patrocínio vendidas. Uma jornalista se aproxima e pergunta, o rosto sério: “O que significa Hebe para você?”

Chega Roberto Justus, e ele também é chamado a dizer o que Hebe representa para ele. “Um ícone”, responde, firme. Cabelo cuidadosamente penteado para não parecer careca, Otávio Mesquita, outro a quem a pergunta é repetida, vai além: “Uma irmã.”

Depois da enxurrada de celebridades mais ou menos conhecidas, que incluiu o time quase completo do Pânico na TV, chega Sabrina Sato. Rafael Ilha, ainda na função de repórter de Sônia Abrão, que foi uma das primeiras a aportar no local, mas seguiu direto para o estúdio, já não sabe como entrevistar. Ele consulta a produção de A Tarde É Sua: “O que eu pergunto para ela, dos brincos, do sapato?”

O cantor Aguinaldo Timóteo é um dos últimos a chegar. Quando questionado por uma repórter pouco afeita a política se ainda é vereador de São Paulo, não titubeia em responder. “Claro. Se não, como é que eu vou ganhar dinheiro?”

Continua após a publicidade

E o espetáculo ainda vai começar.

Leia também:

Hebe na RedeTV!: ‘Se fosse para continuar só batendo papo no meu sofá, eu não precisaria ter saído do SBT’

Hebe Camargo se mexe. E põe em movimento todas as peças no xadrez da TV

Publicidade