Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Muro com grafite de Banksy é vendido e será removido

Grafite com três espiões feito pelo artista próximo à agência de espionagem britânica GCHQ foi adquirido por um colecionador de arte de rua

O muro que recentemente recebeu o grafite de Bansky, localizado em uma rua residencial em Cheltenham, na Inglaterra, foi vendido e será removido, informou o site do jornal britânico The Guardian. A imagem, que surgiu misteriosamente no local em abril, mostra três homens de casaco, óculos escuros e escutas telefônicas em volta de uma cabine de orelhão público. Banksy assumiu em seu site oficial a autoria do grafite no início de junho.

Na quarta-feira passada, a empresa de andaimes Q Scaffolding construiu uma estrutura ao lado da pintura que seria para sua manutenção. Porém, nesta sexta-feira, um funcionário afirmou que seu chefe, o colecionador de arte de rua Sky Grimes, comprou o muro do dono da residência. “Ele vai exibir o grafite em uma galeria de arte em Londres por um mês, enquanto um especialista prepara um espaço para colocá-lo em sua residência”, diz o funcionário.

Leia também:

Banksy vende por R$ 130 obras que custariam milhares

Londres terá maior exibição não autorizada de Banksy

Segundo ele, o dono do muro entrou em contato com a companhia perguntando como poderia remover o desenho para vendê-lo. Por fim, fechou negócio com o empresário. “Sky é um colecionador de arte e não está interessado em vender o grafite, porém, se alguém fizer uma boa oferta ele está aberto para negociar”, conta.

Já os moradores de Cheltenham são contra a remoção do grafite e afirmam que será uma grande perda para a cidade. “Muitos turistas visitaram o município para ver a pintura. Vamos tentar mantê-la na cidade”, disse Michael Ratcliffe, da associação Cheltenham Chamber of Commerce.

O muro está localizado próximo à agência de espionagem britânica GCHQ (Government Communications Headquarters, central de comunicações governamentais), que, segundo informações do ex-técnico da CIA Edward Snowden, atua em conjunto com a Agência de Segurança Nacional americana (NSA, na sigla em inglês).