Clique e assine com 88% de desconto

MP de São Paulo investiga publicidades de filme de Danilo Gentili

Parte das imagens de divulgação do longa 'Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola' não incluíam a classificação indicativa da produção

Por Da redação - Atualizado em 24 out 2017, 12h46 - Publicado em 24 out 2017, 11h31

O Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) abriu um inquérito para investigar publicidades do filme Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola, do humorista Danilo Gentili. Parte das peças de divulgação teria omitido a classificação indicativa do longa, informação que é assegurada pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). No local, aparecia a frase “O pior aluno da escola nunca verifica a classificação indicativa do filme”. A informação foi confirmada pela assessoria do MPSP.

 

Parte do cartaz do filme ‘Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola’ Reprodução/Divulgação

 

O inquérito foi aberto pelo MPSP no dia 11 de outubro, véspera da estreia do longa-metragem, que traz uma polêmica cena em que o professor vivido por Fabio Porchat coloca o órgão sexual para fora da calça e, em seguida, a mão de um aluno sobre ele, pedindo, digamos, um carinho.

Publicidade
Trecho do documento de abertura do inquérito civil sobre a publicidade do filme ‘Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola’, de Danilo Gentili Reprodução/Divulgação

O promotor Eduardo Dias ainda enviou informações para o Ministério Público Federal (MPF) alertando para o fato de que o filme é baseado no livro de mesmo nome escrito por Gentili. A obra possui um aviso na capa indicando que a leitura é inadequada para menores de 18 anos. O longa, no entanto, recebeu classificação indicativa para maiores de 14 anos. Nesse caso, os responsáveis pela criança ou adolescente podem definir se acham a produção adequada.

Publicidade