Clique e assine a partir de 9,90/mês

Morre Joel Schumacher, diretor de ‘Batman Eternamente’, aos 80 anos

Cineasta era dono de um amplo currículo entre filmes de drama e ação

Por Redação - Atualizado em 22 Jun 2020, 17h52 - Publicado em 22 Jun 2020, 17h48

O cineasta Joel Schumacher morreu nesta segunda-feira, em Nova York, aos 80 anos. Segundo a imprensa americana, o diretor, conhecido por filmes como Batman Eternamente (1995) e 8mm: Oito Milímetros (1999), lutava contra um câncer.

Entre os anos 1980 e 1990, Schumacher ganhou notoriedade ao transitar entre filmes de ação e de drama, com estéticas muito peculiares. Um exemplo é Os Garotos Perdidos (1987), trama vampiresca que conquistou crítica e público. Outro mais recente que merece ser lembrado é o suspense Por um Fio (2002), no qual o diretor fixa sua câmera em uma cabine telefônica onde o protagonista (Colin Farrell) negocia para não ser morto por um tiro ali mesmo.

ASSINE VEJA

Acharam o Queiroz. E perto demais Leia nesta edição: como a prisão do ex-policial pode afetar o destino do governo Bolsonaro e, na cobertura sobre Covid-19, a estabilização do número de mortes no Brasil
Clique e Assine

Schumacher, porém, ficou mais conhecido e conquistou altas bilheterias quando assumiu a franquia Batman, logo após a saída de Tim Burton. O supercolorido Batman Eternamente (1995), com Val Kilmer na pele do herói, e elenco estrelado, composto por Tommy Lee Jones, Jim Carrey e Nicole Kidman, fez mais de 300 milhões de dólares no mundo. Em seguida, Batman & Robin (1997) trouxe George Clooney no figurino do homem-morcego e Chris O’Donnell como Robin – na época, o cineasta, que era gay, aumentou os rumores de um possível relacionamento entre os dois personagens ao deixar os figurinos um tom acima da sensualidade dos peitorais malhados.

Entre seus últimos trabalhos estão o filme Reféns (2011), com Nicolas Cage e Nicole Kidman, e episódios da série House of Cards, em 2013, da Netflix

Publicidade