Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Miami Beach celebra espírito art déco de sua arquitetura

Emilio J. López.

Miami, 17 jan (EFE).- A arquitetura original de Miami Beach, uma cidade que oferece bem mais que sol e praia, protagonizou no último fim de semana o Art Déco Weekend, que comemorou seu 35º aniversário com exposições, cinema, música ao vivo, conferências e visitas guiadas.

A estética art déco se tornou quase um objeto de culto nesta cidade, que soube preservar com zelo e acerto mais de mil prédios transformando o distrito em um museu vivo e vibrante.

A responsável por estas conquistas é a Associação para a Preservação do Design de Miami (MDPL, na sigla em inglês), fundada em 1976 e considerada a mais antiga sociedade especializada em art déco do mundo.

O trabalho desenvolvido pela MDPL, que organiza há 35 anos o encontro Art Déco Weekend, foi ‘essencial para a revitalização e melhora de nossa grande cidade’, garantiu à Agência Efe, Amanda Bush, diretora de marketing desta organização sem fins lucrativos.

Amanda destacou a importância de preservar estes ‘edifícios históricos’ que não só transformaram Miami Beach em um lugar ‘verdadeiramente único’, mas em um destino que atrai ‘gente do mundo todo’.

A célebre e agitada rua de Ocean Drive, em frente à praia, foi o epicentro dessa grande festa que valoriza a cultura local com uma exposição de móveis estilo art déco, um desfile de moda, conferências e outras atividades ao ar livre.

Foram exibidos clássicos do cinema negro relacionados com a cidade, como ‘Slattery’s Hurricane’ (1949), ‘Al Capone’ (1959), com Rod Steiger no papel de ‘Scarface’, ‘Lady in Cement’ (1968) e ‘Lenny’ (1974).

Esta celebração remete aos critérios particulares do art déco de Miami Beach, que usa o ‘imaginário local para criar o que agora é chamado de tropical déco’, comentou à Efe Mark Osterman, diretor de programas educativos do museu The Wolfsonian e da Universidade Internacional de Miami (FIU).

Trata-se, explicou, de uma estética mais leve de ornamentação, com motivos florais, apelações à fauna e às linhas marinhas, que compõem o estilo turístico e litorâneo de Miami Beach.

Na sua opinião, o distrito art déco de Miami constitui uma simbiose ‘única’ entre prédios históricos de características próprias e a ‘vibrante comunidade contemporânea’ que vive nesses edifícios, configurando um autêntico ‘legado cultural’.

Esta festa de três dias reuniu artistas e moradores para desfrutar da combinação de arte e diversão em um lugar marcado por diferentes períodos do art déco.

Foi na segunda fase do estilo, conhecida como ‘Streamline Moderne’, que começou durante ‘a queda da bolsa em 1929’ e a consequente crise econômica, que Miami passou de um estilo ‘menos decorativo para mais sóbrio’ e absorveu ‘formas inspiradas’ na era da máquina, explicou Osterman.

Para Amanda, esta ‘geometrização’ arquitetônica está muito presente em alguns hotéis da cidade, com o uso de luzes neon e o predomínio da simetria, linhas em ziguezague, telhados piramidais (zigurat) e esquinas de formas curvas, assim como pisos e construções de vidro e metal.

Entre os hotéis mais emblemáticos de Miami Beach, estão aqueles que mostram o estilo da época, Park Central, Breakwater, Colony e The Marlin, os preferidos de Amanda.

Um dos objetivos desta exposição, explicou a diretora, é que as pessoas ‘experimentem e aprendam’ a conhecer e distinguir a ‘arquitetura e história’ que definem este estilo. EFE