Clique e assine a partir de 9,90/mês

México adere a projeto mundial de resgate de idiomas ameaçados de extinção

Por Da Redação - 17 jul 2012, 22h02

México, 17 jul (EFE).- O México aderiu nesta terça-feira ao projeto internacional ‘Línguas em Perigo de Extinção’, que procura incentivar a troca global de informação sobre idiomas que podem deixar de existir.

O Instituto Nacional de Antropologia e História anunciou em comunicado que esta iniciativa, que será baseada na tecnologia do buscador Google, está focada na difusão pela internet das línguas com risco de extinção e se centralizará no site ‘www.endangeredlanguages.com’.

No portal, que já está disponível, pesquisadores, instituições, universidades e entidades públicas trocam informação sobre idiomas que estão em risco.

O projeto, além disso, permitirá registrar amostras de línguas ameaçadas, e oferecer a possibilidade compartilhar cada uma delas, assim como pesquisar sobre estes idiomas, oferecendo sugestões aos que trabalham com a documentação e a proteção destes.

Continua após a publicidade

A Aliança para a Diversidade Lingüística, que reúne cerca e 30 organizações de todo o mundo, será a entidade encarregada de ‘acelerar, reforçar e catalisar a atividade relacionada com a documentação de línguas em perigo’.

Além disso, dará apoio as comunidades que lutam pela proteção e revitalização de suas línguas, e transmitirá informação sobre diferentes formas de combater a ameaça de desaparecimento dos idiomas.

O Instituto anunciou que se uniu a plataforma de arquivos digitais sobre os dialetos maternos do México, que incluem gravações de cantos, contos, documentários e textos interativos relacionado com os idiomas em perigo.

‘Um idioma é a forma como pensamos, um mundo desaparece se some uma língua, por isso, o Instituto se soma com entusiasmo ao Projeto Línguas em Perigo de Extinção’, afirmou o diretor-geral do Instituto Nacional de Antropologia e História, Alfonso de Maria.

Continua após a publicidade

O diretor do Instituto Nacional de Línguas Indígenas, Javier López, após dirigir uma saudação em sua língua mãe, maia tzeltal, afirmou que a instituição incluirá na nova plataforma web os catálogos das línguas indígenas nacionais, com seus referências estatísticas (cidade, município e estado).

Segundo especialistas, quase a metade das sete mil línguas que se falam atualmente no mundo pode desaparecer ao término do século XXI. EFE

avg/bg

Publicidade