Clique e assine a partir de 9,90/mês

MASP planeja reabertura em setembro

Museu está em processo de elaboração dos protocolos de segurança para a retomada das atividades

Por Amanda Capuano - Atualizado em 31 jul 2020, 11h22 - Publicado em 31 jul 2020, 11h09

O Museu de Arte de São Paulo (MASP) planeja reabrir suas portas ao público a partir de setembro. Ainda sem data definida, a volta acontecerá diante de regras estritas de higiene e segurança, alinhadas com as recomendações dos órgãos competentes e definidas em conversa com outros centros culturais. A informação foi confirmada a VEJA pela assessoria do museu.

ASSINE VEJA

Os 10 fazendeiros que mais desmatam a Amazônia Leia em VEJA: Levantamento exclusivo revela os campeões da destruição. Mais: as mudanças do cotidiano na vida pós-pandemia
Clique e Assine

A exemplo de instituições culturais pelo mundo que retomam aos poucos suas atividades, o museu deve estabelecer um controle de público afim de evitar aglomerações, com visitas restritas a pequenos grupos por vez. A medição de temperatura também deve ser adotada, assim como o uso de máscaras e a disponibilização de álcool em gel ao público — medidas obrigatórias segundo as diretrizes de retomada da capital paulista. Já sobre os ingressos, o protocolo mais usado têm sido a reserva online, que elimina as indesejadas filas.

Informes sobre as exposições e data exata da reabertura devem ser divulgados em breve. Quando fechou as portas, o Masp, que recebia cerca de 40.000 visitantes mensais, estava prestes a lançar as mostras Hélio Oiticica: A Dança na Minha Experiência, Trisha Brown: Coreografar a Vida e Sala de Vídeo: Babette Mangolte, suspensas três dias antes da estreia.

Fechado desde 17 de março, o museu anunciou no dia 20 desses mês um corte de 13% em seu quadro de funcionários. A medida faz parte de um pacote de ações que visam “manter a saúde financeira e operacional da instituição” diante da paralisação das atividades, conforme comunicado divulgado à imprensa.

Publicidade