Clique e assine com 88% de desconto

Marie Fredriksson: a voz romântica do pop

A vocalista do duo Roxette morreu na segunda-feira 9, de complicações do câncer, na Suécia, aos 61 anos

Por Da Redação - Atualizado em 13 dez 2019, 10h12 - Publicado em 13 dez 2019, 06h00

A cena até hoje arrepia os fãs de filmes românticos: do alto de sua limusine, o ricaço Edward Lewis (Richard Gere) declara seu amor à prostituta Vivian Ward (Julia Roberts, estalando de beleza e juventude). O pedido é embalado por uma trilha sonora memorável: It Must Have Been Love, do Roxette. A voz da cantora sueca Marie Fredriksson se eternizou, assim, nas mentes e corações de uma geração. A dupla formada por ela e Per Gessle dominou a parada mundial de sucessos com uma efetiva combinação de rocks calmos e canções românticas. Marie, sem dúvida, era a parte essencial da receita. Nascida em Össjö, no interior da Suécia, ela passou a infância cantando músicas dos Beatles. O Roxette surgiu em 1986 das cinzas do Gyllene Tider, banda liderada pelo parceiro Gessle. Ele e Marie venderam 75 milhões de discos, impulsionados por sucessos como Listen to Your Heart, The Look e Joyride. Em 2002, Marie foi diagnosticada com um câncer no cérebro. Apesar da saúde declinante, situação agravada pelos efeitos colaterais da radioterapia, ela ainda lançou um disco-solo, em 2004, e chegou a fazer apresentações especiais do Roxette. Morreu na segunda-feira 9, de complicações do câncer, na Suécia, aos 61 anos.

Publicado em VEJA de 18 de dezembro de 2019, edição nº 2665

Publicidade