Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Marcos Petrucelli fica na comissão do Oscar, garante secretário

Foram anunciados na comissão os diretores Carla Camurati e Bruno Barreto, nas vagas da atriz Ingra Liberato e do diretor Guilherme Fiúza Zenha

Apontado como possível carrasco de Aquarius, filme que recebeu censura para 18 anos depois de seu diretor e elenco protestarem contra Temer em Cannes, o crítico Marcos Petrucelli será mantido na comissão organizada pelo Ministério da Cultura para escolher o representante brasileiro que disputará uma vaga ao Oscar de filme estrangeiro em 2017. A afirmação é do secretário do Audiovisual, Alfredo Bertini. “A polêmica entre Petrucelli e Kleber Mendonça, diretor de Aquarius, é antiga e envolve questões políticas, não tem nada a ver com a avaliação do filme, que Petrucelli só viu agora na abertura do Festival de Gramado”, explica. E diz que toda essa polêmica não tem razão de ser. “As pessoas deveriam saber separar posicionamentos ideológicos com escolhas artísticas. Eu sei.”

LEIA TAMBÉM:
‘Aquarius’ vence prêmio de melhor filme em festival de Amsterdã
Com polêmica de Aquarius, Ingra Lyberato deixa comissão do Oscar
Ministério censura ‘Aquarius’ para menores de 18
Por ‘Aquarius’, cineastas retiram filmes da disputa pelo Oscar

Questionado se pensou em retirar o nome do crítico por causa da pressão de parte de alguns cineastas, ele foi enfático. “Nem eu nem o ministro Marcelo Calero cogitamos em momento algum retirar o nome de Petrucelli.”

O secretário atribuiu a controvérsia ao ambiente de polarização política que vive o país, mas acha que também há má vontade de alguns profissionais do audiovisual que não veem o óbvio. “Na composição, respeitamos o que vinha sendo feito aqui na Secretaria do Audiovisual, chamando nomes com currículo notoriamente reconhecido, olhando para toda a cadeia produtiva do cinema, com profissionais da área de exibição, produção, direção etc. e, acima de tudo, procurando pessoas de diversas regiões do país. Então, não consigo entender essa má vontade e essa polêmica.”

Foram anunciados como novos membros na comissão os diretores Carla Camurati e Bruno Barreto, respectivamente, nas vagas da atriz Ingra Liberato e do diretor Guilherme Fiúza Zenha. Bertini espera que agora os cineastas e a imprensa deem a devida atenção aos filmes que estão pleiteando a vaga para representar o Brasil no Oscar do próximo ano. “Vamos deixar essa polêmica estéril de lado e focar nos filmes. Me preocupa que as atenções tenham até agora se centrado apenas entre Petrucelli e Kleber Mendonça, e sobre seu filme Aquarius.”

(Com Estadão Conteúdo)