Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mais velha da casa, Mariza resiste e é 1º líder do ‘BBB15’

A pernambucana Mariza mostrou que a idade não é empecilho para as provas de resistência do Big Brother Brasil 15. A professora de arte de 51 anos passou cerca de 18 horas dentro de um carro para se sagrar o primeira líder da nova edição do reality show da Globo, com direito a levar um veículo para casa e de indicar um colega para o paredão que deve ser formado no próximo domingo.

Leia também:

‘BBB15’: Enquanto Exército nega Luan, pérolas pululam

Luan, do ‘BBB15’: de rei do preconceito a suspeito de um crime

Aeromoça Talita fica de lingerie e dá 1º beijo do ‘BBB15’

Globo anuncia ‘BBB do racionamento’ – menos de pérolas

‘BBB15’: Loiras em busca de vaga viram ‘branquelas’ nas redes

VOTE: Julia ou Aline: qual das ‘branquelas’ deve ficar no ‘BBB15′?

A primeira prova do líder do BBB15 reeditava, com algumas alterações, a prova de resistência do BBB1, em que todos os participantes foram colocados dentro de um mesmo carro. Agora, os 13 brothers já confirmados na casa — duas loiras que chegaram na quarta, Aline e Júlia, disputam a vaga final — foram divididos em três carros. Os dois primeiros a desistir eliminariam automaticamente seus colegas de carro. No veículo que restasse, seria instaurada então uma disputa individual, da qual sairia o líder. Mariza, última a descer do carro que dividia com Adrilles, Franciele e Tamires, levou o título.

O primeiro a abandonar o desafio foi o ex-militar Luan, que desclassificou com ele o teólogo curitibano, o caubói paranaense Cézar, a aeromoça goiana Talita e o motoboy paulista Douglas. Horas depois, quem desistiu foi Angélica, derrubando com ela o carioca sangue-bom Fernando, a empresária paulista Amanda e o estudante gaúcho Rafael.

Mariza já manifestou vontade de votar em Douglas, que tirou a sunga debaixo do chuveiro e ficou como veio ao mundo no banheiro, enquanto a pernambucana escovava os dentes na pia. Resta saber se ela manterá o voto agora que sua indicação é decisiva para colocá-lo no paredão. Neste ano, o líder pode acumular “mandatos” em sequência e ganhar 10.000 reais por cada um deles, mas não tem mais imunidaade.