Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lenora de Barros inaugura a instalação ‘Sonoplastia’

Por AE

São Paulo – “Entrei na viagem do écouteur”, brinca a artista Lenora de Barros sobre sua nova experimentação – no caso, a criação da instalação “Sonoplastia”, que ela inaugura hoje em exposição na Galeria Millan. A obra se realiza aliada à imaginação do visitante: no espaço expositivo, em branco, há apenas uma mesa com 60 copos de vidro para que as pessoas se lancem ao desafio de usá-los como instrumento auditivo para escutar um mundo fragmentado de sons, atrás das paredes.

“Dentro da minha rota, é uma experiência nova em certo sentido, a conquista de uma liberdade”, diz Lenora que, desde o projeto Radiovisual, criado para a 7.ª Bienal do Mercosul, de 2009, vem incrementando seu “mergulho no universo da sonoridade”. “Sons embutidos, sons invisíveis”, ela diz, o “verbivocuvisual” – poesia e visualidade -, a performance, todos esses elementos caros à artista estão incorporados em “Sonoplastia”, mas de uma maneira diferente, menos visceral, sem espaço para a contemplação já que a “imagem sonora” está escondida – o que remete, ainda, a brincadeiras -, esperando ser encontrada.

Atualmente, na 11.ª Bienal de Lyon, em cartaz na França até 31 de dezembro, Lenora de Barros apresenta, entre outras obras, a instalação “O Encontro Entre Eco e Narciso”, outro trabalho da vertente sonora (mas audiovisual pelas projeções de luz).

Já em “Sonoplastia” estão, atrás das paredes da Millan, dez pontos habitados por pequenos mundos e situações – “clichês, nonsense, poéticos”, enumera a artista, todos criados a partir de sua voz – para serem ouvidos separada e intimamente. Do outro lado da sala da galeria, são condensados, numa única marcação, todos os sons (ou fantasias) da obra, de forma caótica. Para Lenora, como ela diz, esse trabalho é mais uma de suas perseguições da metalinguagem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Lenora de Barros – Galeria Millan (Rua Fradique Coutinho, 1.360). Tel. (011) 3031-6007. 10h/ 19h (sáb., 11h/ 17h; fecha dom. e 2ª). Até 23/12. Abertura hoje, 20h, com lançamento do livro “Emmanuel Nassar”