Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Latino faz acordo e evita prisão por dívida de pensão

O valor devido durante o último ano, cerca de 150.000 reais, será pago em duas vezes

O cantor Latino firmou, nesta quinta-feira, um acordo com a mãe de uma das suas filhas para evitar ser preso por falta de pagamento da pensão alimentícia da menina, de 2 anos e 8 meses. Na terça, a Justiça de São Paulo decretou a prisão do artista, que não deposita o benefício da criança desde setembro de 2014.

Leia também:

Latino pode ser preso por não pagar pensão alimentícia

Latino se divorcia, mas fica com a ‘guarda’ do macaco

Latino anuncia separação em texto dramático – e fala de possível traição

O valor devido durante o último ano, cerca de 150.000 reais, será pago em duas vezes, conforme o acordo entre as duas partes. “A primeira parcela já foi depositada hoje e a outra será paga no próximo dia 18”, diz Fernando Abrahão, advogado da empresária Gláucia Roberta de Souza, mãe da menina Valentina.

Segundo Abrahão, o acordo já foi informado à Justiça e até o final do dia deverá ser expedido um contra-mandado de prisão. “Resolvemos aceitar o acordo até para que o Latino possa ficar livre para trabalhar. Nos disseram que se ele não fizesse os shows neste final de semana, ficaria mais difícil fazer o pagamento”, diz o advogado.

A reportagem não conseguiu contato com Bruno Pinho Gomes, advogado de Latino. Além de Valentina, o cantor tem outros oito filhos.

Despedida de Solteiro/ Gangnam Style

A mais recente versão feita por Latino é Despedida de Solteiro, uma adaptação livre — põe livre nisso — do viral Gangnam Style, do rapper sul-coreano Psy. O vídeo original já foi visto mais de 530 milhões de vezes no YouTube e fez com que várias personalidades ao redor do mundo dançassem a coreografia do cavalinho criada por Psy, que criou a música para criticar os novos ricos do bairro Gangnam, em Seul. Já Latino fez da sua versão uma ode à pegação. Entre latidos de pitbull, a letra sugere: “laçar, puxar, beijar, vou te pegar… pra galopar”. 

Dança Kuduro/ Danza Kuduro

Danza Kuduro, hit do porto-riquenho Don Omar com participação do luso-francês Lucenzo, deu origem a pelo menos duas versões no Brasil. Uma delas é Dança com Tudo, de Robson Moura e Lino Krizz, que ficou famosa depois de tocar por oito meses na novela Avenida Brasil e emplacar seu Oioioi no imaginária coletivo. A outra versão é a de Latino, Dança Kuduro, lançada em 2011 com participação DJ brasileiro Daddy Kall. Aqui, Latino se deu mal: lançou a sua versão primeiro, mas não conseguiu entrar para o disco da novela da Globo.

Caça-Fantasma/ Ghostbusters

Latino apelou para a memória afetiva das pessoas para vender discos em 2008, quando resgatou uma canção lançada 24 anos antes: a música-tema do filme Os Caça-Fantasmas, de 1984. Com a participação do cantor Buchecha, a faixa Caça-Fantasma propõe um “exorcismo” do ex-namorado daquela menina que se quer pegar. Nessa pérola do cancioneiro popular, ele diz: “Caça-fantasma, já tá na hora, encosto do passado tem que evaporar”. 

Amigo Fura Olho/ Ella y Yo

Também em 2008, Latino fez uma versão de Ella y Yo, do grupo americano Aventura. Dessa vez, em vez de exterminar os ex-namorados, o cantor está preocupado com um triângulo amoroso e mostra todo o seu lado sensível, sofredor. “Tô vivendo uma aventura castigada pelo amor, um labirinto sem saída, onde o medo se converte em tanta dor, vivo um triângulo”, choraminga.

Sem Noção/ Chacaron

Em 2007, o oportunismo de Latino acendeu com o hit Chacarron Macarron, do americano Rodney Clark, conhecido como El Chombo (pela cor negra da pele) no Panamá, país em que foi criado. Tanto Latino quanto El Chombo cantam músicas “sem noção”: os refrãos são compostos por palavras e resmungos ininteligíveis. Depois do sucesso, em 2005, o americano até ficou conhecido como “El Mudo”, ou seja, “O Mudo”, porque não dava para entender nada do que ele cantava. É a versão de Latino que mais se aproxima da original — porque ele, como El Chombo, não deve ter nada a dizer.

Festa no Apê/ Dragostea din Tei

Festa no Apê, música que perseguiu a todos com o refrão chiclete “Hoje é festa lá no meu apê/ pode aparecer, vai rolar bundalelê” é uma versão de Dragostea din Tei, da banda romena O-Zone. O hit foi o grande responsável por ressuscitar a carreira de Latino, em 2005, quando ele estava na pior depois de ser deixado pela cantora Kelly Key justamente quando ela estourava com a música Baba, empresariada por ele.

(Com Estadão Conteúdo)