Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lady Gaga x Lady Gaga

O que faz de Gaga a personalidade mais importante do mundo pop atualmente - e o que prova que ela é uma farsa sustentada em autopromoção

Milhões de pessoas assistem a seus videoclipes, outro tanto imita suas roupas, milhares de vezes as suas músicas são executadas nas rádios do mundo inteiro. Uma declaração polêmica por semana, uma aparição chamativa por dia. O mundo de Lady Gaga, 24, é uma hipérbole que desperta amor e ódio. VEJA.com listou os motivos que fazem de Gaga a artista mais importante do cenário pop atual e o que faz dela um produto sustentado em autopromoção calculada em que imagem vale mais do que talento.

1. Hitmaker x Dança mal

– Além de estourar nas paradas com canções grudentas e dançantes como Poker Face, Bad Romance e Alejandro, Gaga já compôs hits para Britney Spears e o grupo Pussycat Dolls.

– Passa longe de ser uma exímia dançarina e não consegue imprimir uma marca pessoal nas coreografias, como é o caso de Beyoncé em Single Ladies e Britney em Oops… I didn’t again!.

Lady Gaga x Lady Gaga Lady Gaga x Lady Gaga

Lady Gaga x Lady Gaga (/)

2. Dita moda x Gaga é puro marketing

– Queridinha de grandes estilistas como Alexander McQueen, Thierry Mugler e Giorgio Armani, dita moda nos trajes e nas maquiagens extravagantes e influencia seus fãs, que repetem o seu estilo.

– Assumiu que era bissexual numa entrevista à Rolling Stone e noutra disse que era hermafrodita. Demorou duas semanas para desmentir o boato de que tinha dois órgãos sexuais. Enquanto isso, ganhou manchetes e mais manchetes sobre o assunto, alimentando o seu nome na imprensa: marqueteira de mão cheia.

3. Revolucionou o videoclipe x Dissimulada

– Desde Michael Jackson, nos anos 1980, nenhum artista teve videoclipes tão repercutidos e bem trabalhados como os de Poker Face e Bad Romance. Além de Telephone, um dueto com Beyoncé, que bateu a marca de 20 milhões de visitas no Youtube em uma semana.

– “I love my fans” (eu amo meus fãs) é a frase mais repetida por Lady Gaga sobre qualquer assunto. Compôs um hit? Foi pelos fãs. Ditou moda? Também pelos fãs. Fãs que no fim das contas parecem mais massa de manobra da cantora, indo para onde ela aponta.

4. Ela se entrega x Superexposta

– Assume que usou drogas, que é bissexual, que tem uma doença grave (lúpus). Abre o livro de sua vida sem medo, deixa que os fãs se aproximem e conheçam de onde ela veio e como vive. Uma artista que não deixa o show parar e vai aonde o povo está sem medo de manchar a imagem pela androginia.

– Nos jornais, nas revistas, nas TVs, nas rádios, na internet. Onde quer que você esteja, lá estará Lady Gaga declarando algo polêmico, com alguma roupa estranha, lançando algum single grudento. Chega. Fora. Basta.

Lady Gaga x Lady Gaga Lady Gaga x Lady Gaga

Lady Gaga x Lady Gaga (/)

5. Ousada x Sem originalidade

– Numa época em que cantoras aparecem mais pelos escândalos que protagonizam fora dos palcos, Lady Gaga ousa pela dedicação à carreira, ao estilo que impõe com as roupas que usa, tudo meticulosamente criado para chamar atenção pela sensualidade ou pela atitude.

– Lady Gaga é fashion, ousada, tem grandes hits, faz declarações polêmicas e se expõe como ninguém. Todavia, já houve uma Madonna que fez tudo isso muito antes, chocando muito mais e com uma carreira sólida também pela música que produz, não só pelos factoides que cria. Veja, por exemplo, o clipe de Alejandro, cópia deslavada de todas as referências que Madonna imprimiu ao longo da carreira: polêmica religiosa, sadomasoquismo e elementos militares.