Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Kevin Spacey e Weinsten são alvo de piada no Globo de Ouro

Seth Meyer falou sobre assédio em seu monólogo de abertura

Por Da redação - Atualizado em 15 jan 2018, 16h22 - Publicado em 7 jan 2018, 23h26

“2018, o ano em que a maconha se tornou legal, e o assédio sexual, não.” Com a frase, Seth Meyer abriu o monólogo de abertura do Globo de Ouro 2018. Ao longo da fala, o apresentador falou sobre assédio sexual e o protesto que marcou a noite, em que a maioria dos convidados chegou ao evento vestidos de preto. “Vivemos uma nova era. Para os homens indicados nesta noite, esta será a primeira vez em três meses que não ficarão alertas ao ouvirem seu nome lido em voz alta. ‘Você ouviu sobre o Willem Dafoe?’ ‘O quê? Ele também?’ ‘Não, não se assuste, ele só foi indicado ao Globo de Ouro’”, brincou o apresentador.

Em seguida, ele alfinetou Harvey Weinstein e Kevin Spacey, dois nomes derrubados em Hollywood no ano passado pela onda de acusações de assédio sexual.

“Harvey Weinstein não está aqui, mas não se preocupem. Vamos ouvir falar sobre ele de novo, daqui uns 20 anos, quando ele se tornar a primeira pessoa a ser vaiada durante seu velório”, disse o apresentador.

Depois ele comemorou que mais uma temporada da série House of Cards será produzida. “Será que o Christopher Plummer estará disponível para substitui-lo também?”, fez a piada, lembrando que Plummer substituiu de última hora Spacey, no filme Todo o Dinheiro do Mundo.

Publicidade