Clique e assine a partir de 9,90/mês

Kamilla e Marcello saem da casa de vidro para o ‘BBB13’

A mais falante e o mais quieto vencem votação popular e entram na disputa

Por Emylinn Lobo, do Rio de Janeiro - 11 jan 2013, 22h35

Confinados há sete dias em um shopping de São Paulo, o carioca Marcello e a paraense Kamilla venceram a votação popular e ganharam o direito de entrar na casa do ‘BBB13’ para concorrer ao prêmio de 1,5 milhão de reais.

A escolha de Kamilla foi uma surpresa nas redes sociais. A queridinha da casa era a secretária paranaense Kelly, mas a tática – irritante, diga-se de passagem – da modelo de não abaixar a voz deu certo. Durante todo o tempo em que permaneceu na Casa de Vidro, Kamilla fez tudo para chamar a atenção. Quando não estava cantando, Kamilla gritava, dançava, ou falava sem parar. Em certos momentos, fazia tudo isso ao mesmo tempo. Tais atitudes geraram conflitos na casa, os outros participantes não aguentavam mais aturar a morena.

Marcello, pelo contrário, falou pouco. Ganhou pontos na aparência. Ele tem uma história curiosa com Fani. Na casa do Big Brother, a loira contou que conheceu o personal trainer na praia de Ipanema, no Rio. Fani se interessou pelos atributos físicos do rapaz e, para chamar atenção, comprou uma empada e mandou o vendedor ambulante entregar para ele. “Pedi logo a de queijo, que é a que eu mais gosto, mas não adiantou porque ele tinha namorada”, disse. Depois do episódio, eles voltaram a se falar, mas, de acordo com Fani, não rolou nada. Desde então, a loira se refere ao agora BBB como ‘Marcello da empada’.

No limite da paciência – Os últimos dias dentro da casa de vidro foram tensos: brigas, festas e muito cansaço. Nesta sexta, os seis candidatos a BBB brincavam de Escravos de Jó, em uma tentativa desesperada de passar o tempo. Metáfora pronta, basta trocar Jó por Boninho: “Tira, bota, deixa ficar. Guerreiros com guerreiros fazem zigue, zigue, zá”. A cantiga de roda poderia embalar perfeitamente uma atividade do ‘Big Boss’: a de colocar e tirar BBBs. Na casa de vidro, seus escravos ficavam no “zigue, zigue, zá” o dia inteiro. Eram visitados por fãs tresloucados que gritavam, votavam, mas queriam em troca fotos, tchauzinhos e corações com a mão. Isso de manhã, à tarde e à noite. No dia seguinte, de novo: zigue, zigue zá.

Continua após a publicidade

Apreensivos e exaustos, candidatos a BBB só pensavam em ir embora. Kelly, a morena que prometeu beijar Marcello se ambos fossem para a casa, não quis entrar na brincadeira. Enquanto os outros cantavam, ela permanecia deitada e tampava os ouvidos com a almofada com a maior cara de quem queria sumir do mapa – ou da casa de vidro. Pouco antes de entoarem a metáfora em cantiga, Bernardo verbalizou o esgotamento que todos parecem sentir. “Eu só quero que acabe isso, feche o shopping e eu saia daqui. Não importa se vou para a casa ou para o BBB, não aguento mais isso aqui. Esse barulho. Estou nas últimas de paciência já”, desabafou Bernardo, o mais sincero da vitrine desde o início.

Publicidade