Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

John Lasseter deixará a Disney ao fim de 2018 após acusações de assédio

Diretor que mudou os rumos da animação ao lançar ‘Toy Story’ estava afastado da empresa desde novembro, quando pediu desculpas por ‘abraços indesejados’

Acusado de assédio, o diretor executivo de criação da Disney e da Pixar John Lasseter deixará oficialmente o cargo ao fim deste ano, anunciou a empresa nesta sexta-feira. Diretor de grandes animações, como Toy Story (1995), Vida de Inseto (1998) e Carros (2006), o americano está afastado da empresa desde novembro do ano passado, quando anunciou que tiraria uma licença e pediu desculpas aos funcionários que já tinham se sentido desconfortáveis por seus “abraços indesejados” e comportamento impróprio.

De acordo com a Disney, ele exercerá cargo de consultor do estúdio até 31 de dezembro. Segundo o site da revista The Hollywood Reporter, a empresa não anunciou nenhum nome para substitui-lo como diretor executivo de animação, mas espera-se que os diretores Pete Docter (de Divertida Mente) e Jennifer Lee (de Frozen: Uma Aventura Congelante), assumam o cargo na Pixar e na Disney, respectivamente.

Ao comunicar a saída do diretor, o CEO da Disney, Bob Iger, agradeceu a contribuição de Lasseter. “John teve uma gestão memorável na Pixar e na Disney, reinventando o mercado da animação, assumindo riscos de tirar o fôlego, e contando histórias originais e de alta qualidade que vão existir para sempre”, disse. “Nós somos profundamente gratos por sua contribuição, que incluiu uma transformação poderosa e notável do estúdio de animação da Disney. Uma das maiores realizações de John é ter montado uma equipe de grandes contadores de histórias e inovadores com a visão e o talento para definir o padrão em animação para as gerações vindouras.”

No mesmo comunicado, Lasseter afirmou que está na hora de buscar novos desafios. “Os últimos seis meses me deram a chance para eu refletir sobre a minha vida, carreira e prioridades pessoais”, disse. “Apesar de continuar dedicado à arte da animação e inspirado pelo talento criativo na Pixar e na Disney, eu decidi que o final do ano é a hora certa para começar a me concentrar em novos desafios criativos. Tenho extremo orgulho do que os dois estúdios de animação mais importantes e prolíficos alcançaram sob a minha liderança e sou grato por todas as oportunidades que tive para seguir minha paixão na Disney.”

No ano passado, na esteira de denúncias de assédio e abuso sexual em Hollywood, Lasseter pediu desculpas por seus “erros”. “Recentemente participei de algumas conversas difíceis que foram muito dolorosas para mim”, escreveu Lasseter na época. “Nunca é fácil encarar seus erros, mas é o único jeito de aprender com eles. Como resultado, eu pensei muito sobre o líder que sou hoje comparando com o mentor, defensor de causas e campeão que eu quero ser. Trouxeram à minha atenção que eu fiz alguns de vocês se sentirem desrespeitados ou desconfortáveis. Essa nunca foi minha intenção.”

Ele continuou: “Quero pedir desculpas em especial àqueles que receberam um abraço indesejado ou qualquer outro gesto que eles sentiram ter ultrapassado um limite de qualquer maneira. Não importa quão benigna a minha intenção, todos têm o direito de estabelecer seus próprios limites e terem essas restrições respeitadas”.

Um dos fundadores da Pixar, Lasseter mudou o mercado de animação ao lançar Toy Story. Em 2006, depois que o estúdio foi comprado pela Disney, o diretor foi promovido a diretor executivo de criação das duas empresas, supervisionando todos os projetos.