Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jared Leto quase foi protagonista em ‘Clube de Compras Dallas’ há 15 anos

Ator e cantor afirmou que, na ocasião, ignorou o roteiro oferecido por um amigo. Ainda assim concorre ao prêmio de melhor ator coadjuvante no Oscar 2014

Jared Leto – Dallas Buyers Club Jared Leto – Dallas Buyers Club

Jared Leto – Dallas Buyers Club (/)

O músico e ator Jared Leto, que faz o papel do travesti Rayon no filme Clube de Compras Dallas, disse que o papel principal de Ron Woodroof foi oferecido a ele há 15 anos. “Um amigo me telefonou e me disse que um colega dele tinha esse roteiro. Imediatamente eu desliguei o telefone. Sempre que um amigo tem um roteiro é algo que deve ser evitado de qualquer maneira”, disse em entrevista coletiva de imprensa em Londres. O papel principal coube Matthew Mcconaughey na versão final.

‘Em determinado momento eu me tornei uma boa ideia’, diz Matthew Mcconaughey

Para conseguir o papel do travesti, com o qual concorre à estatueta de melhor ator coadjuvante no Oscar deste ano, ele disse que fez um teste via Skype com o diretor Jean-Marc Vallée. “Não era um teste de verdade, era algo informal. Eu coloquei um batom e praticamente flertei com o diretor durante 20 minutos. Quando acordei no dia seguinte, eu recebi a informação de que havia ganho o papel”, disse. Conquistado o lugar no elenco, o ator contou que se preparou para o papel através de conversas com travestis, que teriam sido muito “generosos” com ele.

‘Gravidade’ e ‘Trapaça’ lideram indicações ao Oscar

Sobre a possível vitória no Oscar, Jared Leto brincou sobre onde colocaria o troféu. “Eu não tenho ideia. Quando nós quebramos o recorde de turnê mais longa com o Thirty Seconds (To Mars), eu coloquei o troféu no meu banheiro”, disse.

Ele também aproveitou para elogiar o colega Mathew McGounaghey, protagonista de Clube de Compra Dallas, pelo papel em O Lobo de Wall Street. “Eu acabei de ver esse filme e você estava tão bom. E aquela batida no peito, meu Deus”, disse olhando para Mcconaughey.

‘Trapaça’

Trapaça, que tem David O. Russell no roteiro e na direção, é baseado em uma operação real do FBI batizada de Abscam, que ocorreu nos anos 1970 e descobriu, enquanto investigava um grupo de trapaceiros, uma rede de corrupções políticas. O ponto alto do filme, que levou o troféu de melhor longa cômico ou musical no Globo de Ouro, fica nas mãos do elenco, que conta com a presença de Christian Bale, Amy Adams, Bradley Cooper e Jennifer Lawrence. Todos conquistaram indicações ao Oscar, dominando as categorias de atuação. No Globo de Ouro, Jennifer Lawrence e Amy Adams já saíram vencedoras, dando à produção o maior número de prêmios na festa, três. Em 2013, Russel já se saiu bem com O Lado Bom da Vida, que deu a Jennifer o Oscar de melhor atriz. No total, Trapaça, que estreia dia 7 de fevereiro no Brasil, teve 10 indicações. 

‘Gravidade’

Um dos favoritos ao prêmio principal do Oscar, o longa dirigido pelo mexicano Alfonso Cuarón conta a história de Ryan Stone (Sandra Bullock), uma engenheira médica em sua primeira missão fora da Terra, na companhia do experiente astronauta Matt Kowalski (George Clooney). O trabalho — e a sobrevivência — da dupla no espaço é ameaçado quando uma nuvem de partículas resultante da destruição de um satélite russo chega ao local onde eles se encontram. Ryan e Kowalski não conseguem retornar ao ônibus espacial e ficam à deriva. O filme foi o vencedor do Globo de Ouro na categoria de direção e ficou entre os finalistas ao prêmio de melhor filme de drama na competição. No Oscar, Gravidade lidera as indicações ao lado de Trapaça. O longa é lembrado em outras nove categorias, incluindo a de melhor atriz com Sandra Bullock, a de melhor diretor para Alfonso Cuarón e a de melhor montagem. No Brasil, o filme estreou em 11 de outubro.

’12 Anos de Escravidão’

Um dos favoritos ao prêmio, o elogiado longa de Steve McQueen acumula um Globo de Ouro de melhor drama e indicações ao Bafta, o Oscar britânico, e aos prêmios concedidos pelos sindicatos de atores, diretores e diretores de arte dos Estados Unidos. A produção conta a história adaptada da autobiografia Twelve Years a Slave, de Solomon Northup, um americano livre de origem africana que foi sequestrado e vendido como escravo durante a década de 1840. No longa, Northup é interpretado por Chiwetel Ejiofor, indicado ao prêmio de melhor ator no Oscar. No total, o filme foi indicado a nove prêmios, incluindo o de ator coadjuvante para Michael Fassbender, que dá vida a um cruel dono de escravos. No Brasil, o longa tem estreia prevista para 28 de fevereiro. 

‘O Lobo de Wall Street’

O controverso filme de Martin Scorsese marca a quinta parceria do diretor com o ator Leonardo DiCaprio e conta a história real de Jordan Belfort, um corretor de títulos da bolsa americana que entrou em decadência nos anos 1990. Cercado por uma vida de ganância e abusos, regada a drogas, sexo e álcool, Belfort se envolveu em diversos crimes do colarinho branco e acabou investigado pelo FBI. O Lobo de Wall Street conquistou cinco indicações, entre elas as de melhor filme, melhor ator para Leonardo DiCaprio e melhor diretor. O longa estreia no Brasil dia 24 de janeiro. 

‘Capitão Phillips’

O longa dirigido por Paul Greengrass, indicado também ao Globo de Ouro na categoria de melhor drama, é baseado em fatos reais e conta a história de Richard Phillips (Tom Hanks), o capitão de um navio cargueiro sequestrado por piratas somalis em 2009. O roteiro assinado por Billy Ray, também responsável pela adaptação da saga Jogos Vorazes, é inspirado no livro de memórias A Captain’s Duty: Somali Pirates, Navy SEALs, and Dangerous Days at Sea, escrito pelo próprio Phillips. No Oscar, o filme foi lembrado em outras cinco categorias, incluindo a de roteiro adaptado e a de ator coadjuvante com Barkhad Abdi, que interpreta o líder do grupo pirata invasor do navio. No Brasil, o longa estreou em 8 de novembro. 

‘Philomena’

O filme estrelado por Judi Dench conta a história real de Philomena, uma mulher que, nos anos 1950, dá à luz em um convento e se vê obrigada a dar o bebê para adoção. A criança é levada para os Estados Unidos e logo depois Philomena começa a sua busca por ela. Cinquenta anos depois, ela conhece o jornalista Martin Sixsmith (Steve Coogan), que a ajuda na investigação sobre o paradeiro do filho. O longa, dirigido por Stephen Frears, foi baseado no livro escrito por Sixsmith. No Oscar, teve quatro indicações: melhor filme, melhor atriz para Judi Dench, melhor roteiro adaptado e melhor trilha sonora original. Philomena está previsto para estrear no Brasil no dia 7 de fevereiro. 

‘Clube de Compras Dallas’

Baseado na história real do eletricista e caubói texano Ron Woodroof, um machão que descobre ter aids em 1986, o longa do canadense Jean-Marc Vallée conquistou seis indicações, entre elas a de melhor ator para Matthew McConaughey e a de ator coadjuvante para Jared Leto. Após receber o diagnóstico, Woodroof descobre que tem apenas um mês de vida. Para conseguir o tratamento que mudará esse quadro, ele passa a adquirir a droga ilegalmente. Depois, ele se alia ao personagem de Leto, um travesti, em um esquema de contrabando. A produção está prevista para 21 de fevereiro no Brasil. 

‘Ela’

O filme dirigido e escrito por Spike Jonze conta a inusitada história de Theodore Twombly (Joaquin Phoenix), um escritor solitário que se apaixona pelo sistema operacional de seu smartphone, cuja voz é a de Scarlett Johansson. O aparelho apresenta uma interface interativa a partir de uma voz feminina que se apresenta como Samantha (inspirada em Siri, do iPhone). O longa saiu vencedor na categoria de melhor roteiro no Globo de Ouro, onde também foi indicado a melhor comédia ou musical. No Oscar, a produção foi lembrada em outras quatro categorias, incluindo a de direção de arte e de roteiro original. No Brasil, o longa tem estreia prevista para 14 de fevereiro.

‘Nebraska’

O longa dirigido por Alexander Payne conta a história de Woody Grant (Bruce Dern), um ex-alcoólatra que decide ir do Estado americano de Montana até o de Nebraska a pé com seu filho David (Will Forte) para exigir um prêmio de 1 milhão de dólares que acredita ter ganhado após receber uma propaganda publicitária pelo correio. O filme foi indicado ao prêmio de melhor comédia ou musical no Globo de Ouro e foi lembrado também em premiações como o Bafta e a organizada pelo American Film Institute. No Oscar, Nebraska foi indicado em outras cinco categorias, incluindo a de direção e a de melhor ator para Bruce Dern. No Brasil, o longa tem estreia prevista para 31 de janeiro.