Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ivete Sangalo fala sobre política e famosos: ‘É um direito, não um dever’

Cantora ficou à margem das discussões durante as eleições presidenciais de 2018, ignorando até um desafio proposto por Anitta

Enquanto diversos artistas usaram as redes sociais para apoiar um ou outro candidato nas eleições de 2018, Ivete Sangalo se manteve em silêncio, à margem das discussões, ignorando até um desafio proposto por Anitta. A VEJA, a cantora esclarece seu posicionamento – ou a falta dele – e nega que seja papel do artista opinar sobre política. “Todas as pessoas têm o direito de se manifestar e dizer o que pensam. É um direito, não um dever”, diz. “Tem artistas que estão completamente inteirados, cientes do que estão falando e levando adiante coisas em que ele acredita.”

A cantora trabalha agora na divulgação de seu novo DVD, que será gravado dia 8 de dezembro no Allianz Parque, em São Paulo. “Essas gravações são um registro de confraternização dos meus fãs comigo.” O show também será disponibilizado em plataformas digitais. “Assim como gosto de guardar esses momentos, quero que meus fãs possam guardar para eles”.

Para os que assistirão à apresentação no estádio, Ivete promete que a gravação não atrapalhará o espetáculo ao vivo. “Eu não deixo de ser espontânea. Tem até coisas que eu falo que, na hora, eu não tenho ideia da proporção que vai tomar”, conta Ivete, conhecida por sua sinceridade no palco, como quando deu uma “bronca” em uma mulher que estava conversando com seu marido, Daniel Cady.

Paralelamente, Ivete já prepara seu repertório para o Carnaval — mas sobre isso, ela não dá mais detalhes. Em 2018, a cantora não participou da festa, pois estava prestes a dar à luz as gêmeas Marina e Helena. Com duas crianças a mais em casa (Ivete é mãe também de Marcelo, de 9 anos), a cantora diminuiu a agenda de compromissos para se dedicar à família — mas, claro, sem abandonar a carreira.

“Eu falo para os meus filhos, mesmo as meninas sendo muito pequenininhas: ‘A mamãe vai sair para trabalhar’. Eles entendem que minha profissão é um trabalho como o do pai deles, que sai para trabalhar todos os dias. A diferença é que o meu requer uma ausência, uma exposição maior”, conta. Segundo ela, a família já está acostumada com a rotina. “Nós que vemos com olhos diferentes, para eles é o normal, já nasceram com essa mãe, com esse pai, com essa vida.”