Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Integrantes do Pussy Riot agradecem Madonna em vídeo

'Lutamos pelo direito de cantar, de pensar e de criticar', dizem duas russas mascaradas em novo vídeo do grupo punk

Duas jovens russas mascaradas do Pussy Riot divulgaram nesta quinta-feira um vídeo em que agradecem a artistas como Madonna, Red Hot Chili Peppers, Björk e Green Day, que apoiaram publicamente o grupo punk desde que três de suas integrantes foram condenadas, no mês passado, por protestar contra o presidente Vladimir Putin.

Na semana passada, foi divulgado que duas integrantes do grupo que não haviam sido presas conseguiram fugir do país — o vídeo pode ser um indício de que a notícia é verdadeira e as garotas que fazem o agradecimento são as que conseguiram escapar.

No vídeo, elas protestam: “Nós lutamos pelo direito de cantar, de pensar e de criticar, de ser músicas e artistas, prontas para fazer qualquer coisa, para mudar mudar o nosso país, sem se importar com os riscos”, dizem. Em outro momento do vídeo, elas mostram uma foto de Putin e o criticam também. Este homem pensa que é ilegal ser feminista e cantar músicas punk. Este homem pensa que é ilegal apoiar os direitos dos gays e das lésbicas. Este homem acha que você não pode criticar o seu governo. Este homem acha que cantar e dançar de maneira inapropriada é motivo para ficar dois anos na prisão”, dizem, antes de queimarem a imagem do presidente russo.

Em julho passado,Nadezhda Tolokonnikova, Yekaterina Samutsevish e Maria Alyokhina foram julgadas e condenadas por cantar uma “oração punk” contra o presidente russo, Vladimir Putin, na catedral de Moscou, em 21 de fevereiro. Na ocasião, cinco garotas apareceram encapuzadas, com guitarras e alto-falantes, e cantaram uma música intitulada “Maria, mãe de Deus, tire Putin do poder”. A polícia prendeu apenas três delas, que ficaram detidas até o julgamento, no qual foram condenadas a dois anos de prisão.