Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

IMPERDÍVEL: Pinakotheke Cultural reúne obras da Missão Francesa

Exposição no Rio de Janeiro mostra a influência da arte neoclássica francesa da era napoleônica em território brasileiro

A Pinakotheke Cultural do Rio de Janeiro inaugura no dia 22 de setembro a exposição A Missão Artística Francesa no Brasil e Seus Discípulos, que reúne obras raras de artistas que, em 1816, desembarcaram na cidade, vindos do porto de Havre para estabelecer aqui o primeiro núcleo de neoclássicos franceses no Brasil.

Entre os artistas que vieram ao país estavam Debret (1768-1848) e o perseguido Auguste Henri Victor Grandjean de Montigny (1776-1850), que desenhou muitos edifícios para o irmão de Bonaparte. A exposição da Pinakotheke Cultural ocupa três salas do prédio carioca: na primeira estão as obras de Debret e Taunay; na segunda, as pranchas de Montigny e esculturas de Marc Ferrez; na terceira sala, os curadores agruparam os discípulos dos artistas neoclássicos franceses, como o gaúcho Manuel Araújo Porto-Alegre (1806-1879) e o português Simplício Rodrigues de Sá (1785-1839).

O destaque da mostra fica com um pintor do século XVII que influenciou não só Debret, mas seu primo David, Nicolas Poussin (1594-1665), guia de todos os pintores neoclássicos franceses. Dele, será exposto o painel Himeneu Travestido Assistindo a uma Dança em Honra a Príapo, da coleção Masp, restaurado em 2009 e exibido pela primeira vez no Rio. A exposição não pretende recontar a história dos artistas emigrados ou examinar sua ideologia. O interesse da curadoria converge para a ressonância do programa neoclássico francês da era napoleônica em território brasileiro.

A Missão Artística Francesa no Brasil e Seus Discípulos fica em cartaz de 22 de setembro a 26 de novembro na Pinakotheke Cultural do Rio de Janeiro, localizada na rua São Clemente, 300. O museu fica aberto de segunda a sexta-feira das 10h às 18h,  e aos sábados, das 10h às 16h. Entrada gratuita.

(Com Estadão Conteúdo)