Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

IMPERDÍVEL: Após quatro anos, Dinosaur Jr. lança novo bom disco

‘Give a Glimpse of What Yer Not’ é o 11º trabalho de estúdio da banda de veteranos

Por Henrique Castro Barbosa - 6 ago 2016, 06h55

Os veteranos do Dinosaur Jr. fizeram sucesso nos anos 1980 com seu rock alternativo. Hoje, 31 anos depois do lançamento de Dinosaur, disco de estreia dos americanos, o grupo coloca nas prateleiras seu décimo primeiro álbum de estúdio, Give a Glimpse of What Yer Not. O sucessor de I Bet on Sky, de 2012, é mais um bom trabalho na carreira do trio. No lançamento, os músicos apostaram em canções que mesclam uma levada suave com riffs bem concretos e excelentes solos de guitarra.

LEIA TAMBÉM:
IMPERDÍVEL: Descendents volta com punk explosivo

Os fãs podem ficar tranquilos: a banda continua com a mesma pegada de anos atrás – e competência. As batidas seguem o estilo único da banda, por vezes rápidas, outras melódicas  e, claro, sempre se apoiando na guitarra, instrumento que é esmiuçada pelo vocalista J Mascis. Going Down, que abre o disco, é uma das mais modernas e punk, distante do restante do trabalho anterior – assim como Tiny, que vem na sequência. Elas contam com refrões e versos marcantes e solos cortantes. A guitarra ganha mais espaço em canções melódicas, que são a deixa para que ela se alongue em ótimas sequências de riffs lentos e apoteóticos – é o caso de Be a Part e da excelente Love Is…, na qual Mascis tira o que pode do instrumento.

Os vocais característicos também estão lá, quando Mascis parece recitar as palavras com uma voz que, apesar de carecer de alcance vocal, combina bem com o som. Mais animadas, Good to Know e I Walk for Miles possuem passagens roqueiras – com destaque para a segunda, que entrega um riff pesado ao melhor estilo heavy metal.

Lost All Day, um dos destaques do trabalho, é mais dançante e envolvente, com uma levada gostosa e – como de praxe – solos matadores e harmônicos. Left/Right encerra o trabalho com maestria, em uma canção misteriosa, que por vezes se aproxima do grunge e concluí: o Dinossaur Jr. ainda tem fôlego e talento para novos lançamentos.

Publicidade

Publicidade