Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Harvey Weinstein pede arquivamento de caso de estupro

Defesa do produtor entregou à Justiça e-mails enviados a ele por uma das mulheres que o acusam e que revelariam 'relação íntima e consensual'

Harvey Weinstein pediu nesta sexta-feira a uma corte de Nova York que desconsidere todas as acusações de agressão sexual e estupro contra ele. Seu advogado, Ben Brafman, apresentou à Justiça dezenas de e-mails enviados a Weinstein por uma mulher que o acusa de estuprá-la em 2013, escritos pouco depois da data em que teria acontecido a agressão. A defesa afirma que as mensagens evidenciam “uma relação íntima, consensual, de longa data” entre os dois.

O magnata de 66 anos garante ser inocente das seis acusações por suposto estupro desta mulher, e por obrigar outras duas mulheres a praticar sexo oral em 2004 e 2006. “Weinstein nega categoricamente ter tido relações sexuais não consensuais com qualquer pessoa, e especificamente com as três acusadoras na acusação pendente”, assegura seu advogado.

Se o estupro for descartado, o caso perde força. As acusações de sexo oral forçado datam de há 12 e 14 anos, e uma das acusadoras não lembra a data exata, somente que ocorreu entre junho e setembro de 2004.

Mensagens

“Te amo, sempre amei. Mas odeio me sentir como um flerte”, escreveu a acusadora ao produtor de cinema em fevereiro de 2017, quase quatro anos depois da data em que teria acontecido o estupro.

As mensagens parecem coordenar encontros entre a acusadora e Weinstein, detalham planos de apresentar o produtor à sua mãe, descrevem a doença de seu pai e apelam ao produtor quando a acusadora precisa de ajuda para conseguir emprego, segundo Brafman.

O advogado acusa o procurador de Manhattan Cyrus Vance de ceder a fortes pressões e de se apressar em acusar Weinstein, depois de ser duramente criticado porque não processou quando uma atriz denunciou seus assédios em 2015.