Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Grammy tem momento feminista com Michelle Obama, Gaga e Jennifer Lopez

Junto com Alicia Keys e Jada Pinkett Smith, elas falaram sobre o poder da música em suas vidas

A ex-primeira-dama americana Michelle Obama surpreendeu o público do Grammy 2019 neste domingo ao aparecer no palco da premiação. Em um momento “girl power” da festa, logo no começo, ela foi chamada ao palco pela apresentadora da cerimônia, Alicia Keys, junto com Lady Gaga, Jennifer Lopez e Jada Pinkett Smith.

Michelle foi recebida com aplausos entusiasmados da plateia. Ela falou sobre o poder da música em sua vida. “De discos da Motown que eu ouvi até dizer chega às músicas ‘Who Run the World’ (quem comanda o mundo) que me animaram na última década, a música sempre me ajudou a contar a minha história”, disse. “A música nos ajuda a mostrar nossa dignidade e tristezas, esperanças e alegrias. A música nos mostra que tudo isso importa.”

Lady Gaga homenageou os fãs. “Me disseram que eu era estranha, mas a música me levou a todos vocês e a meus pequenos monstrinhos (como se chamam seus fãs), que eu amo tanto”, afirmou. “No Bronx, a música me deu uma razão para dançar”, completou Jennifer Lopez. “Cada voz que ouvimos merece ser honrada e respeitada”, disse Jada Pinkett Smith.

Alicia Keys terminou com “quem comanda o mundo”, enquanto a plateia deu gritos de “girls” (as mulheres), uma referência à música de Beyoncé, Run the World (Girls).

A abertura feminista parece uma resposta ao resultado da premiação no ano passado, quando apenas uma mulher recebeu um prêmio durante a festa televisionada. Após a cerimônia, para piorar a situação da Academia de Gravação, seu presidente, Neil Portnow, afirmou que as mulheres deveriam “melhorar” caso quisessem melhorar a representatividade – e foi tão criticado que afirmou depois que iria deixar a presidência após a festa de 2019.