Clique e assine a partir de 9,90/mês

‘Game of Thrones’ prova que ainda consegue chocar com 5ª temporada

Ação e surpresas foram condensadas nos últimos capítulos da nova fase, que chegou ao fim neste domingo

Por Raquel Carneiro - 15 jun 2015, 10h05

* Este texto contém spoilers para quem não assistiu à quinta temporada de Game of Thrones.

Inicialmente lenta e até tediosa, a quinta temporada de Game of Thrones deixou pouco tempo para os fãs digerirem os três últimos episódios da série. Especialmente neste domingo, quando o capítulo final somou nada menos que seis mortes de personagens importantes – sem contar os figurantes.

Desde Hardhome, oitavo episódio da nova fase, um batalhão de emoções difíceis de serem combinadas, que iam da euforia à repugnância, foram intercaladas no roteiro. O ápice da montanha russa de acontecimentos parecia ter sido em The Dance of Dragons (A Dança dos Dragões), nono episódio batizado com o nome do quinto livro da série As Crônicas de Gelo e Fogo, de George R. R. Martin.

Os produtores do seriado televisivo conseguiram mais uma vez chocar com uma morte inesperada – e até então inédita nos livros. A doce princesa Shireen, única filha de Stannis Baratheon (Stephen Dillane), foi condenada ao que parece ser um dos piores assassinatos a entrar para o longo cânone de perdas do seriado: queimada viva em uma oferta ao Senhor da Luz, promovida pela sacerdotisa Melisandre (Carice van Houten). O terror da cena conduzida pelos gritos da atriz Kerry Ingram, de 16 anos, foi assistido por seu pai, que cego em sua busca pelo poder, acreditava que o sacrifício traria sua vitória na tomada de Winterfell.

Continua após a publicidade

Leia também:

George R.R. Martin está cansado de fãs chateados com ‘Game of Thrones’

Coldplay faz Daenerys, de ‘Game of Thrones’, cantar reggae

Autor de ‘Game of Thrones’ defende estupro na série de TV

Continua após a publicidade

A decisão, contudo, resultou no último capítulo, Mother’s Mercy, no suicídio de sua esposa, na deserção de metade de seu exército, na partida de Melisandre para a Muralha e, logo mais, na própria morte de Stannis durante a fracassada tentativa de montar cerco ao cobiçado castelo do norte. Enquanto isso, Sansa (Sophie Turner), que teve sua história alterada dos livros para a série nesta temporada, fugiu do quarto onde era mantida prisioneira por seu marido Ramsay Bolton (Iwan Rheon) e quase teve seus planos frustrados ao encarar Myranda (Charlotte Hope). A jovem da família Stark recebe a ajuda de Theon Greyjoy (Alfie Allen), que finalmente sai de seu estado de inércia, joga a periguete medieval de uma das torres e depois escapa juntamente com Sansa.

Outra baixa no elenco acontece no caminho entre Dorne e Porto Real, quando Myrcella (Nell Tiger Free), no barco com seu prometido e Jaime Lannister (Nikolaj Coster-Waldau), segue de volta ao seu lar. Após um momento entre pai e filha, a jovem que ganhou um beijo envenenado de Ellaria (Indira Varma), ainda na saída da cidade, morre nos braços de Jaime. Uma pena para os que esperavam mais cenas com a princesa loira em seu castelo. Myrcella agora é a segunda herdeira de Cersei (Lena Headey) a ser envenenada, após Joffrey (Jack Gleeson) na quarta temporada.

Falando nela, Cersei passa por sua pior e mais dramática cena do seriado. Cansada da prisão, ela decide confessar um de seus pecados, o de adultério com o primo, crime pelo qual ela é condenada a uma dura expiação. De cabelo cortado e completamente nua, ela parte em uma humilhante caminhada do templo até o castelo, onde aguarda encontrar uma saída. No trajeto, a ex-rainha é açoitada com insultos e lixos, jogados contra ela pela população.

Distante dali, em Braavos, Arya (Maisie Williams) cumpre parte de sua vingança e assassina brutalmente Ser Meryn (Ian Beattie), antes de acabar cega. Já em Meereen, Tyrion (Peter Dinklage) fica encarregado de governar a cidade enquanto Ser Jorah (Iain Glen) e Daario (Michiel Huisman) partem em busca de Daenerys (Emilia Clarke). A mãe dos dragões, levada para bem longe por um de seus filhotes no nono episódio, se vê retornar ao ponto de partida da série, sendo cercada por um grupo de cavaleiros Dotharaki. Ela deixa cair um anel, no que indica ser sua chance de deixar um rastro.

Continua após a publicidade

Já do lado gélido da trama, na Muralha, a morte mais chocante está por acontecer. Apontado como um dos protagonistas, o popular Jon Snow (Kit Harington) é esfaqueado por seus “companheiros” da Patrulha da Noite. A cena final foca no rosto do bastardo de Ned Stark, enquanto seu sangue se mistura com a neve. Alguns fãs, que foram à internet reclamar da perda, apostam que a bruxa Melisandre fará algo para trazer o querido personagem de volta. Porém, a expectativa do ator e dos produtores não é tão otimista.

“Morto é morto”, sentencia o produtor Dan Weiss ao site da revista Entertainment Weekly. “Esperamos que após a cena ninguém tenha pensamentos ambíguos na mente”, diz Weiss, contrariando o autor do livro, George R.R. Martin, que em 2011 disse à mesma publicação que nem todas as mortes eram definitivas em seu ponto de vista. Já Harington, garante ao site que tem outros planos para o ano que vem, como a participação em filmes de cinema. “Me falaram que eu estou morto. Então morri. Não volto na próxima temporada. É o que posso dizer agora”, diz o ator. Se Snow volta ou não da morte, só 2016 dirá, ano em que o novo livro da saga deve chegar às livrarias – ou quando a sexta temporada for retomada, provavelmente entre março e abril.

Publicidade