Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Funk consciente, quem diria, bomba com alerta para excessos em bailes

MC Garden angariou mais de 1 milhão de visualizações de seu novo clipe em apenas 24 horas

MC Garden, nome artístico de Lucas Rocha da Silva, 21 anos, chamou a atenção ao angariar mais de 1 milhão de visualizações para seu novo clipe, Encostei no Baile Funk, em apenas 24 horas. Publicado no Facebook na segunda-feira, a produção já soma 1,5 milhão de views na rede social e quase 50.000 no YouTube.

Leia também:

Com 10 milhões de fãs, funk é hino de identidade para jovens brasileiros da periferia

Juiz do Rio defende “proibidões” e os compara com Chico Buarque

O jovem paulistano se vende como “funkeiro consciente”, com letras que fogem do comum, pois, em vez de exaltar, críticam o excesso de bebedeira, uso de drogas e relações sexuais precoces em bailes funk. Em Encostei no Baile Funk, por exemplo, ele fala sobre adolescentes que cheiram lança perfume incentivados por MCs que fazem apologia à droga no palco.

“E o DJ não tinha consciência nem experiência, só fez piorar/ Toco logo um funk que dizia/ Quem não baforasse não ia transar/ Me coloquei no lugar dos pais/ Ao ver novinha bebendo demais/ E dançando que nem uma louca/ Com um mano na frente e outro atrás”, diz um trecho da canção. O cantor também critica a comercialização do funk como um produto para arrecadar dinheiro. “Hoje, MC virou só um produto/ Pra encher o bolso do seu empresário”, diz.

Ainda sem um disco, MC Garden tem feito sucesso na internet, desde a época dos protestos, em 2013, com as faixas Gol do Adversário e Isso é Brasil, em vídeos que somam juntos mais de 5 milhões de visualizações no YouTube.