Clique e assine a partir de 9,90/mês

Festival literário na Índia tenta acordo com muçulmanos por Rushdie

Por Nicholas Kamm - 19 jan 2012, 12h11

Os organizadores do Festival Literário de Jaipur, na Índia, realizaram reuniões com grupos muçulmanos nesta quinta-feira para chegar a um acordo que permita que o escritor Salman Rushdie participe do evento, apesar de protestos contra seu trabalho.

Líderes muçulmanos pediram que Rushdie seja excluído do festival pelo ressentimento persistente por seu livro “Versos satânicos”, de 1988, que foi considerado um insulto ao Islã.

Rushdie deveria participar do primeiro dia do festival, na sexta-feira, mas seu nome foi retirado da agenda por temores sobre sua segurança.

O promotor do evento, Sanjoy Roy, disse a jornalistas em Jaipur que “tivemos um encontro com diversas organizações muçulmanas. Apresentei meu ponto de vista e ouvi o deles”.

Continua após a publicidade

Roy confirmou que Rushdie não estará na abertura do festival de cinco dias, um evento literário que anualmente atrai milhares de indianos e estrangeiros. Roy acrescentou que mantém a esperança de que Rushdie possa participar de algum evento do festival.

Rushdie, um cidadão britânico nascido em Mumbai, passou uma década praticamente escondido depois que o líder espiritual iraniano, o aiatolá Ruholá Khomeini, emitiu uma ‘fatwa’ em 1989 pedindo que o autor dos “Versos satânicos” fosse executado.

“Antes de tudo, defendemos a liberdade de expressão. O festival sempre respeitou as visões de comunidades minoritárias e outras religiões”, disse.

Publicidade