Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Festival de Toronto: Ridley Scott retoma grande forma em ‘Perdido em Marte’

Matt Damon está perfeito no papel do astronauta deixado para trás no Planeta Vermelho

Matt Damon no filme ‘Perdido em Marte’ Matt Damon no filme ‘Perdido em Marte’

Matt Damon no filme ‘Perdido em Marte’ (/)

Ridley Scott, diretor de Alien – O 8º Passageiro (1979) e Prometheus (2012), volta ao espaço com Perdido em Marte, exibido para a imprensa no 40º Festival de Toronto nesta sexta-feira. Baseado no livro de Andy Weir e com roteiro de Drew Goddard, o longa foi bem recebido pelos jornalistas.

Desta vez, em vez de uma fantasia, Scott fez um filme realista que se passa no espaço. Matt Damon interpreta Mark Watney, membro de uma missão a Marte que é atingido por um grande objeto e dado como morto durante uma tempestade que força a evacuação da tripulação comandada por Melissa Lewis (Jessica Chastain) e integrada por Rick Martinez (Michael Peña), Beth Johanssen (Kate Mara), Chris Beck (Sebastian Stan) e Alex Vogel (Aksel Hennie). Mas, na verdade, Mark sobreviveu, quase soterrado pela areia, com um pedaço de metal enterrado na barriga, que ele mesmo tem de costurar sozinho quando consegue chegar à base.

LEIA TAMBÉM:

Filme com Mariana Ximenes vai ao Festival de Toronto

‘Demolition’ abre o Festival de Toronto sem força

‘Demolition’ abre o Festival de Toronto sem força

Aliás, Mark vai ter de fazer tudo sozinho daí em diante, inclusive encontrar uma maneira de sobreviver, já que a próxima missão tripulada ao Planeta Vermelho está programada para daí a cinco anos, e o contato com a Nasa foi perdido. Mas Marte vai descobrir logo que não é tão fácil assim se livrar de Mark Watney.

Como ele lida com a situação complicada em que se encontra? Atacando um problema de cada vez. A comida vai acabar um dia? Então, ele resolve improvisar uma estufa para plantar batatas no planeta inóspito. E assim por diante. Enquanto isso, a Nasa descobre por meio de fotografias que ele sobreviveu e o diretor Teddy Sanders (Jeff Daniels) e o chefe das missões a Marte, Venkat Kapoor (Chiwetel Ejiofor), começam a tentar arrumar um jeito de salvá-lo.

Além de usar a ciência e a racionalidade, Mark Watney tem uma arma e tanto: o humor. E, na mistura de drama e comédia, Matt Damon é perfeito para o papel. Aliás, está mais do que na hora de o ator, sempre consistente, voltar à corrida pelo Oscar – sua última indicação, como coadjuvante, foi em 2010 por Invictus, e ele só ganhou a estatueta uma vez, como roteirista, por Gênio Indomável (1998), que assinou com o amigo Ben Affleck. Damon trabalhou com os melhores cineastas, de Steven Spielberg a Clint Eastwood e Martin Scorsese, mas seu estilo talvez seja um pouco sutil demais para a Academia, que prefere performances mais chamativas.

Perdido em Marte não deixa de ser um grande western sobre o poder do espírito humano e a batalha do homem contra a natureza e as adversidades. Ridley Scott declarou na coletiva de imprensa, realizada na sequência da exibição, que cresceu vendo as produções do gênero e sempre quis fazer um. “Meus pais achavam que eu tinha problema porque queria ser um caubói”, disse o cineasta inglês de 77 anos. Com seu talento visual, o diretor aproveita ao máximo a paisagem desolada – a filmagem foi na Jordânia e num estúdio em Budapeste. Mas também há certos elementos clássicos dos filmes de guerra, como a ideia de não deixar um homem para trás.

Com toda a tecnologia e a ciência envolvida em expedições espaciais, é um longa humanista, em que pessoas de diferentes cores, credos e culturas se juntam para salvar apenas um homem – e, assim, toda a humanidade. Na coletiva de imprensa, uma jornalista perguntou como é estrear a produção em um momento em que o mundo parece tão perdido. “Sem dúvida, vivemos uma época complicada, eu leio jornais e é difícil de ficar animado. Mas esta é uma razão a mais para lançá-lo. É um filme otimista. Espero que acabe ajudando a elevar os espíritos”, disse Matt Damon.

Perdido em Marte tem estreia prevista no Brasil para o dia 1º de outubro.

http://www.youtube.com/embed/eTJ1qS7KOm4
‘Demolition’

Jake Gyllenhaal continua em sua cruzada para mostrar que é mais do que um rosto bonito. Depois de emagrecer assustadoramente para fazer O Abutre e ficar absurdamente forte para Nocaute, agora ele interpreta um bem-sucedido banqueiro que lida de uma maneira curiosa com a perda de sua mulher num acidente neste longa de Jean-Marc Vallée (Clube de Compras Dallas). 

http://www.youtube.com/embed/rAhut-kbmhU
‘Freeheld’

Diretor do simpático Nick & Norah – Uma Noite de Amor e Música, Peter Sollett agora conta a história real da policial Laurel Hester (Julianne Moore), que em 2005 entrou na justiça para que sua companheira, a mecânica Stacie Andree (Ellen Page), recebesse pensão após a sua morte, depois de ser diagnosticada com câncer em fase terminal. 

http://www.youtube.com/embed/BLZo_ILZhfk
‘Our Brand is Crisis’

No filme de David Gordon Green, Sandra Bullock é “Calamity” Jane Bodine, uma estrategista de campanhas políticas que sai da aposentadoria para trabalhar para o candidato à presidência da Bolívia Castillo (Joaquim de Almeida). Tudo com um único objetivo: bater seu rival Pat Candy (Billy Bob Thornton), favorito para ganhar as eleições. 

http://www.youtube.com/embed/2S8HVoWm9ec
‘About Ray’

O filme da inglesa Gaby Dellal fala de um assunto em voga: a questão do gênero e da sexualidade. Ray (Elle Fanning) sempre achou que era um menino, embora tenha nascido menina. Adolescente, insiste em fazer a transição, o que causa preocupação em sua mãe, Maggie (Naomi Watts), e sua avó, Dolly (Susan Sarandon), que é lésbica.  

http://www.youtube.com/embed/uPCyjqGH914
‘The Dressmaker’

Baseado no romance de Rosalie Ham, o filme de Jocelyn Moorhouse traz Kate Winslet no papel de Tilly Dunnage, que deixou sua pequena cidade natal na Austrália depois de ser acusada de um crime quando era criança. Ela retorna como modista, depois de anos em Paris, causando furor na conservadora Dungatar com sua moda e modos progressistas. 

http://www.youtube.com/embed/Pi4k4cvuLAU
‘Trumbo’

Bryan Cranston, o Walter White da série Breaking Bad, interpreta o roteirista Dalton Trumbo neste longa de Jay Roach. Membro do Partido Comunista, ele entrou na lista negra depois de se recusar a dar informações ao Comitê de Atividades Anti-Americanas. Durante o período, ganhou dois Oscar sob pseudônimos (por Arenas Sangrentas e A Princesa e o Plebeu). Mais tarde, escreveu os roteiros de Spartacus e Exodus

Cate Blanchett e Robert Redford no filme 'Truth' Cate Blanchett e Robert Redford no filme ‘Truth’

Cate Blanchett e Robert Redford no filme ‘Truth’ (/)


Imagem de divulgação do filme 'Where to Invade Next', de Michael Moore Imagem de divulgação do filme ‘Where to Invade Next’, de Michael Moore

Imagem de divulgação do filme ‘Where to Invade Next’, de Michael Moore (/)


Mariana Ximenes e Jason Priestley no filme 'Zoom', de Pedro Morelli, selecionado para o Festival de Toronto Mariana Ximenes e Jason Priestley no filme ‘Zoom’, de Pedro Morelli, selecionado para o Festival de Toronto

Mariana Ximenes e Jason Priestley no filme ‘Zoom’, de Pedro Morelli, selecionado para o Festival de Toronto (/)


Tom Hiddleston no filme 'I Saw the Light' Tom Hiddleston no filme ‘I Saw the Light’

Tom Hiddleston no filme ‘I Saw the Light’ (/)