Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Cannes seleciona novo filme do diretor de ‘Aquarius’ para mostra principal

Kleber Mendonça Filho protestou contra o impeachment de Dilma Rousseff quando participou da mostra francesa, em 2016

Por Redação - Atualizado em 18 abr 2019, 08h20 - Publicado em 18 abr 2019, 08h13

O filme brasileiro Bacurau, dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, está na lista da competição oficial do Festival de Cannes, anunciada nesta quinta-feira, 18. Há três anos, o cineasta pernambucano havia sido selecionado com o drama Aquarius, estrelado por Sônia Braga. Pouco antes da sessão principal, em 2016, a equipe do longa-metragem protestou contra o impeachment de Dilma Rousseff.

Em cartazes improvisados, no tapete vermelho, integrantes do elenco exibiram frases como “Um golpe ocorreu no Brasil” e “Brasil não é mais uma democracia”. Na sala do Grande Teatro Lumière, houve gritos de “Fora!”. Dilma agradeceu o apoio em sua conta no Twitter. “Obrigada, Kleber Mendonça Filho, Sônia Braga e Maeve Jinkings – o talento do Brasil em Cannes. Ao elenco extraordinário do filme Aquarius, um beijo em nome da democracia”, publicou.

Este ano, o diretor disputará a Palma de Ouro com os novos filmes de Pedro Almodóvar (Dolor y Gloria), Terrence Malick (A Hidden Life) e Ken Loach (Sorry We Missed You), entre outros. Na mostra paralela Um Certo Olhar, outra presença brasileira: o realizador cearense Karim Aïnouz (de O Céu de Suely) concorrerá com Vida Invisível.

Terceiro longa-metragem de ficção de Mendonça Filho, que também dirigiu O Som ao Redor (2012), Bacurau narra a história do cotidiano de um pequeno povoado que, após a morte de uma mulher de 114 anos, é abalado por acontecimentos misteriosos.

Publicidade