Clique e assine a partir de 9,90/mês

Fashion Rio: organização promete cumprir cota racial

Empresa deve garantir a participação de 10% de modelos negros, diz Defensoria

Por Da Redação - 5 Nov 2013, 16h57

Os organizadores do Fashion Rio assinaram nesta terça-feira um termo no qual se comprometem a garantir o cumprimento de uma cota racial no evento. A Defensoria Pública exige que 10% dos modelos que irão desfilar a partir desta quarta sejam negros. Pelo documento firmado, a Luminosidade Marketing e Produções diz que vai avisar cada uma das marcas sobre a determinação.

Leia também:

Leia também: Defensoria Pública quer modelos negros no Fashion Rio

“Todos os dias, modelos são excluídas de seleções para desfiles e isso não diz respeito à raça. Mas como explicar que em um país onde mais da metade da população é negra, esse grupo não seja minimamente representado nas passarelas? Acho pouco provável que não existam modelos negras que correspondam aos critérios que os estilistas querem. Há uma população de milhares de pessoas e modelos negras excluídas, talvez, por uma política discriminatória”, afirmou a defensora Larissa Davidovich.

Continua após a publicidade

Larissa participou de uma reunião com representantes da ONG Educafro e da Luminosidade Marketing e Produções. A empresa tem até 30 dias para divulgar a relação nominal dos profissionais que desfilaram por cada uma das marcas – identificando, inclusive, se os profissionais são brancos, negros ou indígenas. “Consideramos 10% um porcentual pequeno, mas será um ponto de partida para a negociação”, explicou a defensora, acrescentando que irá ao Fashion Rio para verificar a presença de modelos negros.

Tema em foco: Confira os destaques das passarelas do SPFW

Publicidade